Tipos de liderança

A liderança pode ser definida como uma influência, através do processo de comunicação, que ocorre entre indivíduos em uma determinada situação, em que há a necessidade de se alcançar um objetivo. É importante não confundir o conceito de liderança com gerência ou direção. Apesar de ser necessária a presença de líderes em todos os níveis hierárquicos de uma empresa, nem sempre um líder é um gerente. É vital que um líder, para ser considerado como tal, seja capaz de fazer com que as pessoas façam aquilo que estipulado por ele. Por outro lado, as pessoas devem sentir que ao alcançar os objetivos estipulados pelo líder, elas estarão satisfazendo suas próprias metas.

Pode-se definir estilo de liderança como sendo a forma pessoal padrão e recorrente do comportamento demonstrado pelo líder. White e Lippitt, defendem a existência de três estilos básicos de liderança:

  • Liderança autocrática: aquela em que o líder toma as decisões e estabelece as diretrizes sozinho, sem a participação do grupo. Caracteriza-se por seu comportamento dominador na maneira como elogia e/ou critica os membros da equipe.
  • Liderança liberal: aquela em que o líder participa de forma mínima. Há uma total liberdade para que os grupos ou indivíduos tomem suas decisões. O líder não avalia ou controla as atividades.
  • Liderança democrática: aquela em que as decisões são tomadas em grupo depois de discutidas e avaliadas pelo mesmo. Essas discussões são estimuladas e dirigidas pelo líder, que costuma ser objetivo em seus elogios e críticas.

Também é possível classificar a liderança quanto ao seu foco. Na liderança centrada na tarefa (também conhecida como job centered), a preocupação é a entrega do trabalho que deve ser realizado com os recursos disponíveis e sob os métodos preestabelecidos. Já na liderança centrada nas pessoas (conhecida também por employee-centered), os aspectos humanos são levados em consideração. A ênfase está mais nas pessoas que no trabalho propriamente. A ideia é manter a equipe ativa e participante.

Uma das ferramentas que podem ser utilizadas para se escolher um perfil de liderança é o Continuum de Tannenbaum-Schimidt de Padrões de Liderança. O continuum é um gráfico em que estabelece um tipo de comportamento para o líder, levando-se em conta o nível de autoridade do líder e o nível de liberdade dos subordinados. Sendo assim, do nível em que o nível de autoridade é muito alto e a liberdade dos funcionários, muito baixa (nível 1), para o nível em que há mínima autoridade e muita liberdade aos funcionários (nível 7), podemos descrever os estilos presentes no continuum da seguinte forma:

  1. O líder toma a decisão e comunica aos subordinados.
  2. O líder “vende” (convence) sua decisão aos subordinados.
  3. O líder apresenta suas ideias e solicita questionamentos.
  4. O líder apresenta uma decisão sujeita a mudanças.
  5. O líder apresenta o problema, pede sugestões e toma a sua decisão.
  6. O líder define os limites e pede ao grupo que tome a decisão.
  7. O líder dá permissão para que o grupo decida livremente.

Na prática, um bom líder adota mais de um desses estilos apresentados. Tudo vai depender de quem é o líder, quem é ou são os subordinados e da atividade que se tem à frente.

Bibliografia:

CHIAVENATO, Idalberto. Gerenciando Pessoas: O passo decisivo para a administração participativa. São Paulo. Markron Books, 1994.

Arquivado em: Administração