Reprodução das aves

Graduação em Ciências Biológicas (UNIFESP, 2014)

O processo de reprodução das aves é resultado de um conjunto de interações entre os sistemas nervoso, endócrino e reprodutivo. Os fatores ambientais, como temperatura, clima, disponibilidade de alimento e interações sociais, desencadeiam as respostas neuroendócrinas e comportamentais. O fotoperiodismo é um fator ambiental muito importante na reprodução das aves, pois sincroniza as estações reprodutivas com a época ótima do ano para a sobrevivência da prole, sendo a duração do dia o que regula a dinâmica do ciclo sexual. A detecção de luz ocorre através de fotorreceptores e a mensuração da duração do dia estabelece um relógio fotoperiódico que regula os mecanismos neuroendócrinos e controlam a atividade reprodutiva cíclica das aves.

O sexo das aves, determinado no momento da fertilização, é definido pelos cromossomos sexuais Z e W que se combinam após a fecundação para formar dois genótipos sexuais: ZZ nos machos e ZW nas fêmeas. O cromossomo W é o determinante primário para a diferenciação sexual nas aves porque ele carrega genes que serão expressos e farão com que o embrião desenvolva gônadas e órgãos sexuais femininos. Na maioria das espécies, as aves masculinas apresentam dois testículos localizados no interior da cavidade abdominal; um par de pequenos epidídimos e um par de ductos deferentes, fixados à parede dorsal do corpo, desembocando num pequeno pênis na região dorsolateral da cloaca. Já o sistema reprodutor feminino é formado somente por um ovário esquerdo e por um oviduto associado, terminando numa cloaca.

No período pré-cópula, podemos observar uma infinidade de comportamentos dentre as espécies de aves. Geralmente, as fêmeas selecionam os machos para acasalar, e estes combinam elementos como postura corpórea, penas coloridas e canto para chamar atenção da fêmea. Os machos têm cores brilhantes e penas modificadas como resultado da seleção sexual. Neste processo, as fêmeas acasalam preferencialmente com machos que apresentam certa característica que contribui para seu o valor adaptativo reprodutivo. A fêmea do pavão, por exemplo, se acasala preferencialmente com machos que têm caudas longas e com muitos desenhos em forma de olhos, o que fez com que caudas longas fossem selecionadas ao longo do tempo. Estudos têm demonstrado que essas preferências das fêmeas não são aleatórias. Nas aves, as cores brilhantes e outros ornamentos dos machos podem ser indicativos do bom estado nutricional, de resistência a parasitas, ou de habilidade em evitar predadores. Se estes sinais realmente indicam a qualidade do macho, eles podem informar às fêmeas quais, dentre os vários parceiros potenciais, podem aumentar aptidão de sua prole. A monogamia é o sistema de acasalamento dominante entre as aves, na qual ambos os pais participam dos cuidados com os filhotes. Sabe-se, porém que é comum a ocorrência de copulação extra-par, sendo que alguns ovos de um ninho podem ter sido fertilizados por outro macho, que não era o parceiro da fêmea que os pôs. O termo monogamia social, então, tem sido introduzido para espécies em que um macho e uma fêmea dividem a responsabilidade de cuidar de um ninho com ovos, mas não demonstram fidelidade.

A construção dos ninhos (nidificação), incubação dos ovos e cuidado com a prole são aspectos importantes da reprodução das aves. Os ninhos protegem os ovos das agressões físicas como o calor, frio, ou chuva e contra os predadores. O tempo de cuidado parental é muito variável. Os filhotes de pássaros pequenos deixam o ninho cerca de duas semanas depois da eclosão e são alimentados por seus pais durante mais uma ou três semanas. As espécies maiores, tais como algumas corujas, ficam um mês no ninho e recebem cuidado parental por mais três meses após ter voado pela primeira vez.

Bibliografia
Mychel Raony Paiva Teixeira Morais, Ana Luiza Malhado Cazaux de Souza Velho, Sérvulo Eduardo Soares Dantas & José Domingues Fontenele-Neto- Morfofisiologia da Reprodução das Aves: Controle Endócrino do Ciclo Sexual das Aves- Acta Veterinaria Brasilica, v.6, n.4, p.285-293, 2012

Mychel Raony Paiva Teixeira Morais, Ana Luiza Malhado Cazaux de Souza Velho, Sérvulo Eduardo Soares Dantas & José Domingues Fontenele-Neto- Morfofisiologia da Reprodução das Aves: Desenvolvimento Embrionário, Anatomia e Histologia do Sistema Reprodutor- Acta Veterinaria Brasilica, v.6, n.3, p.165-176, 2012

Pough, F. Harvey; Janis, Christine M. & Heiser, John B. - A Vida dos Vertebrados- 4º Edição, Atheneu Editora São Paulo, 2008

Arquivado em: Aves, Reprodução