Reprodução das Aves

Por Thais Nogueira
As aves são animais dióicos (existem machos e fêmeas) e ovíparos, frequentemente mostram um dimorfismo sexual muito marcante, sendo os machos mais vistosos do que as fêmeas, com penas maiores e mais coloridas, são comuns também grandes papos e cristas de cores bem vibrantes, e isto é que faz com que o macho atraia a fêmea para fazerem um ninho e formarem uma ninhada.

Outras aves realizam complexos e curiosos rituais de danças a dois (macho e fêmea) e diversas posturas corporais quando pretendem acasalar. Na sua época de reprodução, as aves podem ficar seus territórios onde constituem seus ninhos, que geralmente é um local alto e seguro, e estes ninhos servem para incubação dos ovos, onde a fêmea os depositam.

Apesar da maioria das espécies de aves machos não possuírem órgão copulador (pênis), a fecundação é interna. A transferência de espermatozóides para fêmea ocorre pela justaposição das aberturas das cloacas de ambos durante a cópula. Após a cópula as fêmeas eliminam os ovos pela cloaca no ninho, e estes ovos (ricos em vitelo) são protegidos por uma casca calcária.

O ovo já pronto, então, zigoto, protegido por invólucros, são encubados nos ninhos, pelos pais, e então ocorre seu desenvolvimento. Durante a incubação o macho ou a fêmea ou ambos, em rodízio, assentam-se no ovo para manter em uma temperatura adequada, e com certa frequência com o bico rolam o ovo para que de certo modo o calor de seus corpos distribua uniformemente por toda a superfície desses ovos. Dentro dos ovos mais ou menos em média de duas semanas o embrião se desenvolve até torna-se uma pequena ave.

Após essa formação ocorre a eclosão dos ovos e os filhotes demonstram um comportamento que chamamos de nidífugo, ou seja, já estão bem formados o suficiente para caminhar ou nadar, acompanhando os pais em busca de alimento. Mas também podem ocorrer ao contrário as aves nidícolas são, aqueles filhotes que nasceram muito imaturos e permanecem no ninho até adquirirem penas e força muscular para terem a capacidade de voar, se tornando assim independentes, mas enquanto não adquirem penas e força muscular seus pais, vão em busca de alimento e armazenam no bico, até que possam chegar no ninho e alimentar os seus filhotes ainda imaturos. Este processo é o das aves voadoras.

Os ovos não fecundados são chamados de ovos não-galados.

Fontes:
Biologia Vol. 1 - José Mariano Amabis & Gilberto Rodrigues Martho
Biologia Vol.2 – César e Sezar
Biologia atual Vol. 2 – Wilson Roberto Paulino

http://jornalanimais.blogspot.com/2009/08/colibri-formula-um-dos-passaros.html
http://www.eb1-brunheiras-n1.rcts.pt/aves.htm