Origami

Por Ana Lucia Santana
O origami, expressão que provém do japonês e significa arte de dobrar o papel – ‘ori’ descende do verbo ‘oru’, com o sentido de dobrar, e ‘gami’ nasce do vocábulo ‘kami’, denotando papel -, é uma arte muito antiga, criada pelos membros da Corte Imperial do Japão. Aí ela era considerada um entretenimento, mas ao longo da história, ao se tornar acessível à massa, foi convertida em uma arte.

Foto: Mara008 / Shutterstock.com

Foto: Mara008 / Shutterstock.com

Nesta técnica é comum utilizar-se folhas de papel no formato quadrado, nas quais os cortes estão ausentes. Nelas são realizadas algumas poucas dobras no estilo geométrico, que dispostas de formas variadas, compõem imagens complexas, as quais resultam na representação de entes ou objetos os mais diferentes.

Para se alcançar este visual não é preciso recorrer a recortes ou colagens, embora estes recursos não sejam proibidos na composição do origami. Nesta arte não há regras dogmáticas, e sim liberdade de ação, a qual produz, muitas vezes, inúmeros desafios para a imaginação, que busca então a criação de modelos renovados.

Desde os tempos ancestrais do cultivo desta técnica - de 1603 a 1897, no Período Edo -, o origami japonês se revelou despreocupado com normas severas e meras convenções. Hoje esta arte não é privilégio dos japoneses, pois ela se disseminou por todo o Planeta. Até mesmo no Ocidente já se tornou convencional a criação do origami.

Historicamente a prática do origami foi se popularizando à medida que o papel, antes um bem de alto valor aquisitivo, converteu-se em um objeto cada vez mais barato. Os pobres, mesmo assim, valorizavam esta mercadoria e economizavam no seu uso, preservando pequenos pedaços de papel e transformando-os em obra-prima para a confecção do origami.

Desta forma ele se tornou uma arte popular. Sempre foi estimulante testemunhar a transformação de uma mera fração de papel em objetos os mais variados, pássaros ou flores, apenas com determinadas dobras em sua superfície. Inicialmente não existiam normas para sua criação, pois a técnica era passada de uma geração para a outra.

A primeira obra contendo regras para a elaboração do origami foi lançada em 1797 com o título Hiden Senbazuru Orikata. Nele se ensinava como dobrar o papel de forma a produzir a imagem de uma ave indiana sagrada. A presença desta arte é encontrada inclusive em impressões na madeira, como em um trabalho que data de 1819, ‘Um mágico transforma folhas em pássaros’.

O origami é disseminado no Japão a partir da publicação do livro Kan no mado, em 1845, contendo cerca de 150 figuras criadas a partir do Origami. Além dos japoneses, os Mouros também cultivavam esta arte, introduzindo-a na Espanha após a Invasão Árabe, no século VIII. Deste país a técnica atinge a América do Sul, espalha-se pela Europa e posteriormente desembarca nos Estados Unidos.

Esta arte contribui muito também para a educação, pois ela atua ativamente no aprimoramento intelectual das crianças. Isto porque demanda alta concentração, incentiva a capacidade de fantasiar e aperfeiçoa as habilidades manuais.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Origami
http://www.iej.uem.br/oq_origami.htm