Lançamento de Disco

Por Thais Pacievitch
O lançamento de disco é uma das várias modalidades do atletismo. O objetivo é que o disco seja lançado o mais distante possível. Para isso o atleta conta com três tentativas. Apenas os oito melhores lançadores tem possibilidade de lançar outras três vezes.

O esporte teve origem nas Olimpíadas da Antiguidade, precisamente em 708 AC. Existem várias obras de arte que comprovam o fato, como a estátua de Discobolo, criada em 455 AC. pelo grego Míron. Provavelmente os primeiros discos não tinham a forma dos atuais, e eram de pedra. A forma circular do disco utilizado atualmente, foi sendo aperfeiçoada com o tempo. O lançamento de disco foi incluído nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 1896.

A diferença principal para as competições atuais é que o lançamento era estático, até por volta de 1900, quando os nórdicos passaram a girar para fazer o arremesso. Nessa época o lançamento era feito com as duas mãos. Após a década de 20, foi criada a regra do arremesso com uma mão apenas, e em 1954, o giro passou a ser obrigatório nas competições.

O disco tem medidas e pesos diferentes para homens e mulheres. Pode ser de madeira ou outro material adequado, oco ou não, e deve ter as bordas arredondadas. As medidas dos discos são:

Homens - pesa 2 kg, mede entre 219 e 221 mm de diâmetro e tem de 44 a 46 mm de espessura.
Mulheres - pesa 1 kg, mede entre 180 a 182 mm de diâmetro, e tem de 37 a 39 mm de espessura.

Nas competições, o atleta fica dentro de uma espécie de jaula (é assim mesmo que é chamada), que nada mais é do que uma rede
de 4m de altura, com uma abertura em um ângulo de 40°. É por essa abertura que o disco é lançado. O atleta deve, ainda, se manter dentro de um círculo de 2,5m de diâmetro, e não pode pisar na linha que marca essa distância.

O movimento no momento do arremesso é de um giro de uma volta e meia. Usa o corpo, além do braço, para dar um maior impulso no momento da liberação do disco.

Os recordes mundiais, no masculino assim como no feminino, pertencem a atletas da antiga Alemanha Oriental: Jürgen Schult, em 1986, com a marca de 74,08 m e Gabriele Reinsch em 1988, com a marca de 76,80 m.