Flamingo

Por Ana Lucia Santana
O flamingo é um pássaro de grande porte, integrante da família Phoenicopteridae. Ele tem membros inferiores longos, o bico extenso em forma de arco, similar ao nariz de um papagaio, de coloração amarela com a porção final preta; seu corpo é forte e grosseiro. Alguns estudiosos posicionam o flamingo-andino e o flamingo-de-james em uma outra categoria, por conta de algumas variações no bico.

Flamingo
Flamingo
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Phoenicopteriformes
Família: Phoenicopteridae
Gênero: Phoenicopterus

Ele tem uma extensão que varia entre 90 e 150 centímetros e, ao se colocar em pé, pode alcançar até 1,5 m e pesar cerca de 1,8 Kg. O macho é sempre um pouco maior que a fêmea. As asas do flamingo são imensas e o rabo não tem um grande comprimento. Suas penas têm cores muito vivas, especialmente na tonalidade rosa, inclinada para o vermelho.

Estes animais, muito encontrados em lagos, lagunas de pouca profundidade, águas salobras desprovidas de vegetação, perto do mar e em lodaçais, nutrem-se de algas e crustáceos menores por meio de filtragem. Eles pescam sempre com o longo pescoço virado para baixo; assim a maxila fica posicionada na parte funda do lodo. Com seu bico a ave passa a refeição – larvas de moscas, moluscos, minúsculos crustáceos e algas - por um filtro.

Na estação primaveril os flamingos se agrupam em comunidades para edificarem seus ninhos. Cada um é construído com um cone incompleto feito de lama, a qual é sovada com seu bico. A fêmea choca dois ovos de tom azul, os quais são mensurados em 85 x 55 mm, e este processo leva de 28 a 32 dias.

Como ele é alto, seu ninho é estruturado em uma altitude de 10 a 40 cm. As crias nascem brancas, mas depois revelam um tom cinza-escuro. Estes pássaros são esquivos e prudentes e eles fazem o possível para não passarem por espaços cobertos, nos quais seus adversários se refugiam.

Estes pássaros vivem em grupos volumosos, perto de regiões aquáticas; alguns têm o poder de viver, inclusive, em áreas de grande salinidade. Eles possuem hábitos diurnos e noturnos. Ao adormecer, a ave se imobiliza e preserva uma das patas dobrada próxima ao peito; a outra, delgada e comprida, sustém o corpo com incrível equilíbrio, embora seja uma árdua tarefa estabilizar o pescoço, principalmente por conta da pressão do bico. Ele o sustenta arqueado sobre a parte posterior e situa a cabeça entre a asa e o corpo.

Este animal procede de Trinidad e Tobago, sendo considerado o principal espécime desta região. Ele é encontrado naturalmente no Brasil, no Peru, no Chile, no Uruguai e na Argentina. Atualmente esta ave se encontra em risco de extinção, pois é muito cobiçada como animal de estimação, o que contribui para a caça e o comércio deste pássaro. A contaminação da natureza e a devastação de seu meio representam séria promessa de destruição a este espécime.

Foto:
http://www.birding.in/birds/Phoenicopteriformes/Phoenicopteridae/greater_flamingo.htm