Galinha-d’angola

Por Débora Carvalho Meldau
A galinha-d’angola (Numida meleagris), também conhecida como galinha-do-mato, capote, guiné ou pintada, é uma ave pertencente à ordem Galliforme, oriunda da África, mais precisamente da região ao sul do Saara, e foi introduzida no Brasil na época da colonização portuguesa.

Galinha d'angola
Galinha d'angola
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Galliformes
Família: Numididae
Gênero: Numida
Espécie: Numida meleagris

São encontrados três tipos, com relação às características físicas:

  • Pedrês: mais comum; é cinza com bolinhas brancas;
  • Inteiramente branca;
  • Pampa: resultado do cruzamento das duas anteriores.

São extremamente agitadas, barulhentas, sendo seu grito “tô-fraco” inconfundível. Locomovem-se em bando e são muito organizadas: cada grupo tem seu líder, fácil de ser detectado no momento da alimentação; enquanto o bando se alimenta, o líder vigia, começando a comer apenas após de verificar se está tudo em ordem.

Como já foi dito, estas aves geralmente vivem em bandos, exceto na época do acasalamento, quando formam pares. Então, macho e fêmea se retiram para as margens dos bosques, seu típico território de nidação. No ninho, construído numa depressão do solo, a fêmea põe cerca de uma dúzia de ovos, que são incubados durante trinta dias. O período de postura vai de setembro a março. Quando saem do ovo, os pintinhos já estão prontos para seguir a mãe em suas caminhadas à procura de alimento.

Sua dieta é composta, basicamente, por grãos, frutas, sementes, insetos e pequenos répteis; nos primeiros meses de vida também comem lesmas.

A carne da galinha-d’angola é muito apreciada e, segundo os especialistas, o peito dessa ave, quando bem preparado, é um prato tão fino e saboroso quanto o faisão. Quanto à produção de ovos, não competem com as galinhas, pois embora tenham qualidade e gosto semelhantes, são menores e de menor valor no mercado. Além disso, sua postura é pequena (20-30 ovos antes de cada incubação).

Para iniciar uma criação, aconselha-se adquirir poucos exemplares, aproximadamente 12. Para a reprodução, o ideal é utilizar um macho para cada cinco fêmeas.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Galinha-d'angola
http://www.uov.com.br/biblioteca/572/criacao_de_galinha_d_angola.html
http://guia.mercadolivre.com.br/galinha-dangola-aprenda-pouco-sobre-essa-raca-5208-VGP
Guia Ilustrado – O Mundo dos Animais – Aves III. Editora Nova Cultura, 1990.