Brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Rafael Tobias de Aguiar foi um militar e político brasileiro.

Nascido no dia quatro de outubro de 1795, Rafael Tobias de Aguiar era proveniente de Sorocaba. Seus pais, Antônio Francisco de Aguiar e Gertrudes Eufrosina Aires, eram fazendeiros e possuíam um respeitável patrimônio. Rafael passou apenas sua infância na cidade natal, logo foi para São Paulo, onde iniciou seus estudos e foi colega de escola do Padre Diogo Antônio Feijó. Após concluí-los, não tardou muito também para iniciasse sua vida pública como representante da comarca de Itu, aos 26 anos de idade. Foi sua responsabilidade escolher os deputados brasileiros que integraram as Cortes Gerais e Constituintes de Lisboa.

Rafael Tobias de Aguiar se envolveu muito com a vida pública e se tornou um dos grandes líderes liberais da primeira metade do século XIX. Sua carreira se desenvolveu com muita rapidez, em pouco tempo ele se tornou conselheiro do governo provincial. Este cargo foi sucedido pelas posições de deputado provincial e deputado geral em várias legislaturas. Dez anos apenas depois de ter iniciado sua vida pública, Rafael Tobias de Aguiar chegou ao respeitável posto de Presidente da Província de São Paulo. Cargo que ocupou por duas vezes, inclusive. Durante o exercício de seus dois mandatos, Rafael ganhou a admiração de todos por conduzir ótimas gestões administrativas e investir o próprio salário em melhorias nas escolas e em obras públicas e de caridade. Sua conduta o rendeu o título de Brigadeiro Honorário do Império, tornando-o, então, conhecido como Brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar.

O Brigadeiro Tobias de Aguiar foi um dos principais nomes do movimento liberal no século XIX e foi um dos chefes da Revolução Liberal de 1842. Nesta época, uniu-se a seu colega de escola, Padre Diego Antônio Feijó, para combater os conservadores que ganhavam espaço no começo do reinado de Dom Pedro II. Os revolucionários mudaram provisoriamente a capital da Província de São Paulo para Sorocaba e formaram um exército de 1500 homens que recebeu o nome de Coluna Libertadora para invadir São Paulo e depor o Presidente da Província, Barão de Monte Alegre. Porém, o movimento foi derrotado e Tobias de Aguiar buscou refúgio no Rio Grande do Sul, junto aos rebelados da Guerra dos Farrapos. O Brigadeiro acabou preso e levado para a Fortaleza de Laje no Rio de Janeiro.

O Brigadeiro Tobias de Aguiar ficou preso por pouco tempo, ele era o chefe mais popular do partido liberal paulista e era considerado um dos homens mais populares da pátria. Tanto que saiu da prisão, em 1844, e foi recebido por uma multidão em São Paulo. Tobias de Aguiar foi casado com a Marquesa de Santos, Domitila de Castro Canto e Melo, uma ex-amante de Dom Pedro I. Em uma das viagens de Santos para a capital do Império o Brigadeiro foi acometido por uma grave moléstia a bordo do vapor Piratininga que o levou à morte, no dia 7 de outubro de 1857. Atualmente, é lembrado por ser o patrono da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

Fonte:
http://www.museudacidade.sp.gov.br/solar-rafaeltobias.php

Arquivado em: Biografias