Charles Bukowski

Por Felipe Araújo
Seu apelido era Buk e o pseudônimo que utilizava em suas obras era Henry Chinaski. Porém, o verdadeiro Charles Bukowski conheceu o mundo (que tanto criticou) no dia 16 de agosto de 1920 em Andernach (Alemanha). Seu pai era um soldado americano e sua mãe, uma alemã. Então Bukowski mudou-se para os Estados Unidos com os pais aos três anos de idade.

A cidade mais presente em seus contos e romances é Los Angeles, foi lá que ele viveu por 50 anos de sua vida e conheceu os inúmeros personagens bizarros que habitam sua literatura. Seu primeiro conto foi publicado em 1944, quando ele completava 24 anos. Aos 35, começa escrever poemas.

Suas principais influências foram Fiódor Dostoiévski e Ernest Hemingway, o primeiro pelo pessimismo e o segundo pelas frases curtas e jeito simples de escrever. Bukowski ganhou a vida por muito tempo lendo suas poesias em universidades e outros eventos culturais.  A maneira como lia suas poesias era sarcástica, bêbada e debochada, isso fez com que brigasse com sua platéia e provocasse tumultos pela maioria dos locais onde se apresentou.

A fama do escritor só viria na década de 80, época em que conviveu com artistas e teve filmes inspirados em suas obras. Faleceu em San Pedro, na Califórnia, dia 9 de março de 1994 aos 73 anos, ele havia acabado de terminar seu último romance, que mistura ficção policial à seres extra-terrestres, "Pulp", lançado no mesmo ano de sua morte. Foi vítima de uma leucemia e as duas palavras escritas em seu túmulo explicam seu desgosto com a vida: “don’t try”, em português, “nem tente”.

Escritor compulsivo, lançou mais de 45 obras, entre romances, contos e poesias. Seus livros mais famosos são “Cartas na Rua”, de 1971, “Factotum”, de 1975, “Mulheres” de 1978 e “Misto Quente”, de “1982”. Bukowski ainda teve publicações posteriores a sua morte: Open all night: new poems (2000), Beerspit Night & Cursing: The correspondence of Charles Bukowski & Sheri Martinelli 1960-1967 (2001), the night torn mad with footsteps (2001), Sifting Through the Madness for the Word, the Line, the Way: New Poems (2003) foram algumas delas.
Filmes sobre o autor:

  • Factotum, 2005.
  • Born into this, 2004.
  • The man with beautifull eyes, 1999.
  • The Ordinary madness of Charles Bukowski, 1995.
  • I'm Still Here, 1990.
  • Barfly, 1987.
  • Crônica de um Amor Louco, 1981

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Charles_Bukowski
http://www.spectroeditora.com.br/autores/bukowski/bukowski.php