Franz Kafka

Um dos principais escritores ficcionais de língua alemã, Franz Kafka nasceu na cidade de Praga, nesta época integrante do império austro-húngaro, atualmente conhecido como República Tcheca, no dia 3 de julho de 1883, no seio de uma família de classe média judia. Sua obra – em grande parte inconclusa e póstuma - compõe, hoje, o cânon que exerce a maior influência na Literatura Ocidental.

Ele era o primogênito de Herrmann Kafka, próspero negociante judeu, e de sua companheira Löwy, depois chamada de Julie. Kafka perde dois irmãos mais novos, o que, segundo alguns experts na produção literária do escritor, determinará a presença, em seus livros, de intenso sentimento de culpa. Restam três irmãs, entre as quais Ottilie é sua preferida. Kafka cresceu em um ambiente impregnado pelas culturas judia, tcheca e alemã. O escritor adotou o alemão como primeira língua, mas também falava fluentemente o tcheco.

Ainda adolescente Kafka assume ser socialista e ateu, ao mesmo tempo em que integra círculos anarquistas. Posteriormente ele fará o caminho de volta, ao militar em movimentos sionistas. Em 1902, ele trava amizade com Max Brod, que se tornará um de seus melhores amigos, e a quem, em 1922, ele confiará o desejo de ver toda sua obra destruída depois de sua morte.

Ele estuda Direito em Praga e se gradua em 1906. Se, por um lado, já se devota à Literatura, por outro é obrigado a trabalhar em seguradoras para sobreviver. Mas, em 1917, tem que abandonar o emprego, por conta de uma séria crise de tuberculose. Outro evento que marca sua obra é sua iniciação sexual, em 1903, quando ele tinha vinte anos, o que lhe provocará falta de segurança constante.

Suas relações afetivas foram sempre tumultuadas e inconstantes. Durante três vezes, entre 1914 e 1924, ele se encontra próximo do matrimônio, mas volta atrás. Assim, o escritor é na verdade um solitário, uma pessoa indecisa e vacilante, que não conheceu com sua obra a fama, nem a riqueza.

Neste mesmo período ele decide visitar um sanatório, sem saber que passará seus últimos dias em uma instituição semelhante a esta – chamada Kierling -, perto de Viena, na qual ele se interna por conta da tuberculose, embora oficialmente a causa de sua morte seja uma insuficiência cardíaca. Ele morre em Klosterneuburg, no dia 3 de junho de 1924.

Em sua obra é sempre presente o embate entre os protagonistas e a influência institucional, que revela a incapacidade humana e a sua instabilidade. Ela representa também seres angustiados, mergulhados em um universo aterrador, frio e burocrático. Seus principais livros, em grande parte publicados depois de sua morte, graças ao empenho de seu amigo Max Brod em recuperar seu legado, são: A Metamorfose (1916); O Castelo (1926); O Processo (1925), entre outros.

Kafka participou da Escola de Praga, movimento voltado para uma elaboração literária realista, uma certa tendência metafísica e um meio-termo entre o bom senso movido pela razão e um intenso toque sarcástico. Ela também se caracteriza pela crueldade e pelo estilo meticuloso com o qual narra eventos nada comuns, como os representados em O Processo, no qual o protagonista é aprisionado, julgado e morto, mesmo sendo inocente. Kafka também produziu diversos contos e a cativante Carta ao Pai, de 1919, somados a páginas inumeráveis de diários. A ficção Amerika ficou inconclusa.

Fontes
http://pt.wikipedia.org/wiki/Franz_Kafka
http://www.pensador.info/autor/Franz_Kafka/biografia/

Arquivado em: Biografias, Escritores