Lourenço Filho

Por Iasmin da Costa Marinho
Nascido em 10 de março de 1897 na cidade de Porto Ferreira (SP), Lourenço Filho, optou pela carreira do magistério abandonando o segundo ano de Medicina. Na sua trajetória enquanto docente desfrutou da prática administrativa e organizacional dirigindo a reforma da instrução pública no Ceará (1922-1923) e em São Paulo (1931-1932). Na década de 30, transferiu-se para o Rio de Janeiro exercendo funções de chefe de gabinete do ministro da Educação Francisco Campos. Durante a gestão de Anísio Teixeira na Secretaria de Educação do Distrito Federal, dirigiu o Instituto de Educação do Rio de Janeiro.

Instituto de Educação do Rio de Janeiro – vista interna. Fonte: Arquivo CPDOC – Fundação Getúlio Vargas.

Lourenço Filho durante aula. S.l., s.d. (Arq. LF foto 124/3). Fonte: Arquivo CPDOC – Fundação Getúlio Vargas

Foi diretor da Escola de Professores no Distrito Federal e do INEP, que então denominava-se Instituto Nacional de Pedagogia. Desenvolveu diversas obras de orientação, como, cartilhas para apropriação das escolas no ensino da escrita e na didática de sala de aula. Foi um dos precursores no estudo e publicações no âmbito da Escola Nova, com o livro Introdução ao estudo da Escola Nova, no fim da década de 30. Como docente lecionou disciplinas ligadas à Psicologia e à Pedagogia.

Lourenço Filho com estudantes secundaristas no Instituto de Educação. Rio de Janeiro, s.d. (Arq. LF foto 113). Fonte: Arquivo CPDOC – Fundação Getúlio Vargas

De acordo com a biografia levantada, este estudioso desenvolveu seus escritos na vivência da administração e organização do ensino em diversas localidades brasileiras, portanto, se tornou um grande conhecedor da principal ferramenta educacional, a escola. Ele a definia como sendo uma sede com clientela específica de alunos, elementos docentes próprios, e, enfim, atividades prefixadas, segundo o ensino que ministre, seus horários e programas (LOURENÇO FILHO, 2007, p. 25). Fosse à escola pública ou particular essa estrutura seria a mesma, pois, deveria estar adaptada às peculiaridades do trato educacional.

Mais sobre a vida e obra de Lourenço Filho, consultar SAVIANI (2007) – História das Idéias Pedagógicas no Brasil.

Referências
LOURENÇO FILHO, M. B. Organização e Administração Escolar: curso básico. 8ª edição. Brasília: INEP/MEC, 2007.

SAVIANI, Dermeval. História das idéias pedagógicas no Brasil. – Campinas, SP: Autores Associados, 2007. – (Coleção memória da educação).

Fundação Getúlio Vargas: http://portal.fgv.br/