Noel Rosa

No dia 11 de dezembro de 1910, nasceu Noel Medeiros Rosa, no Rio de Janeiro, a mesma cidade onde viria a falecer, aos 26 anos, no dia 4 de maio de 1937. Noel foi filho de um comerciante e de uma professora e tinha um irmão chamado Hélio, sua família era de classe media baixa. Estudou em escola tradicional e foi criado em Vila Isabel.

O rosto de Noel ficou marcado graças a um parto difícil, onde o médico teve de usar fórceps, fato que lhe causou a fratura e o afundamento do maxilar inferior. Isto provocou em Noel, nos primeiros anos de vida, uma leve paralisia da boca, sendo posteriormente operado e auxiliado por uma prótese.

Noel Rosa aprendeu a tocar bandolim de ouvido e, durante sua infância, aprendeu a tocar violão. Durante a adolescência, Noel Rosa integrou vários grupos, dentre os quais o “Bando dos Tangarás”, do qual faziam parte Almirante, Braguinha (João de Barro), Henrique Brito e Alvinho. O primeiro sucesso de Noel foi “Com que Roupa?” (música que até as novas gerações conhecem).

A partir daí, o Brasil ganhava um compositor cheio de humor e com grande veia irônica. Noel compôs 259 músicas com mais de 50 parceiros, dentre os quais podemos citar Vadico e Francisco Alves). Tudo isso ocorreu em apenas oito anos de atividade fervorosa em sua entrega à boemia e à arte. Noel até entrou na universidade de medicina, mas desistiu logo no primeiro ano, tornando-se mesmo “doutor” em samba.

Começa, então, o auge das composições de Noel, e também de suas noitadas, que acarretariam em problemas pulmonares (tuberculose), doença que viria a matá-lo. Em 1934, Noel casou-se com Lindaura, embora fosse apaixonado por Ceci, moça que trabalhava em um cabaré (ambiente do qual Noel gostava muito e frequentava desde sua adolescência).

Dentre as belíssimas composições de Noel Rosa, podemos citar: Adeus; Até Amanhã; Cem Mil Reis; Feitiço da Vila; Fita Amarela; Filosofia; Conversa de Botequim; Palpite Infeliz; O x do Problema; O Orvalho Vem Caindo; Pra que Mentir e Último Desejo.

Arquivado em: Biografias