História Natural (Plínio)

História Natural (no original em latim, Historia Naturalis) é uma enciclopédia escrita por Caio Plínio Segundo (conhecido também como Plínio, o Velho), filósofo e naturalista que viveu entre 23 d.C. e 79 d.C. e morreu na famosa erupção do vulcão Vesúvio, responsável pela destruição de Pompeia, Herculano e outras vilas menores ao redor. Apesar de ter composto vários outros trabalhos científicos e filosóficos, a História Natural é o único trabalho de Plínio que chegou até nossos dias, sendo também um dos maiores textos em volume que resta da época da antiga Roma, e ainda por cima, completo.

É consenso entre os historiadores que a História Natural é o último trabalho de Plínio, cuja violenta morte o impediu de fazer uma revisão mais criteriosa de seu texto. Dividida em 37 livros, a obra pretendia cobrir todo o campo de conhecimento explorado pelo homem da antiguidade clássica, e tomava por base as fontes mais confiáveis ao alcance do autor.

O título desta enciclopédia, à primeira vista, pode levar a conclusões equivocadas, pois ela não é essencialmente um trabalho de história, ou relato de fatos passados, mas sim um relatório ou pesquisa. Do mesmo modo, o termo "natural" utilizado no título tinha o sentido, na época de Plínio, de se referir a toda a cultura conhecida, seja esta construída pela natureza ou pelo homem. Uma interpretação mais satisfatória do título original em latim, para o português contemporâneo seria algo como "Pesquisa Cultural".

O desejo de Plínio com monumental obra, acredita-se que era a de legar uma contribuição romana ao conhecimento humano, que na sua época permanecia ainda território dos gregos. O cidadão romano médio costumava receber uma formação mais prática, voltada para o cotidiano, dentro de um Estado obcecado com as conquistas territoriais e a riqueza que estas podiam render.

Nesta enciclopédia, que de acordo com o próprio autor em seu prefácio, seria a primeira do gênero (afirmação controversa), Plínio oferece todos os tipos de informação crítica, mencionando fontes, e por vezes relatas curiosidades como a que está em seu catálogo de pessoas que atingiram uma idade avançada, onde menciona um homem de Bolonha, que teria morrido com a idade de 150 anos (ao menos, ele teria sido um contribuinte por 150 anos).

Entre os volumes não há um critério real de separação das áreas de conhecimento. Portanto, não se deve estranhar que, no meio do texto sobre horticultura encontre-se informações sobre navegação (afinal, velas são feitas de linho).

Sua organização :

Volume I
- Prefácio, índice e relação das fontes consultadas;

Volume II
- Cosmologia, astronomia e meteorologia;

Volumes III a VI
- Geografia;

Volume VII
- Antropologia e fisiologia humana;

Volumes VIII a XI
- Zoologia;

Volumes XII a XXIX
- Temas relacionados à botânica, agricultura, horticultura e farmacologia;

Volume XXX
- Magia e Zoroastrismo;

Volumes XXXI a XXXVII
- Mineralogia

Bibliografia:
LENDERING, Jona. Pliny's Natural history (em inglês). Disponível em: <http://www.livius.org/pi-pm/pliny/pliny_e3.html>. Acesso em: 17 jul. 2012.

Arquivado em: Biologia, Livros