Estuário

Por Graziele Kaminski Guidi
Todas as correntes e rios acabam atingindo o mar, a área onde a água doce encontra a água salgada é um estuário. Em outras palavras, é o destino final de um rio, onde ocorre a mistura da água salgada do mar e água doce do rio.

Os estuários estão cercados de terras úmidas ou terrenos alagadiços, em alguns casos com árvores com raízes aéreas (para facilitar a respiração). As ondas formadas pelo movimento proporcionado pelo vento fazem com que as águas salgadas e água doce se misturem, aumentando a produtividade em função da circulação que ocorre de nutrientes, plâncton e larvas. Esse ecossistema tem uma produtividade maior no verão e primavera.

Nos estuários considerados rasos onde a profundidade é de 1 metro à 2 metros, a entrada de luz forma uma planície de algas. Pode ocorrer em água salgada onde predominam espécies adaptadas a salinidade e também em água doce ou em zonas com baixa salinidades.

Fauna e Flora

A vegetaçao principal é capim, como as plantas do gênero Spartina, que são especialmente adaptadas para sobreviver em água salgada.

Esses alagados são ricos em nutrientes trazidos do continente, por isso são os lugares de desova e de criação de muitas formas de vida marinha. São encontradas algumas espécies de ostras e caranguejos que são distribuídos comercialmente. No Brasil ocorre uma fiscalização em relação a captura desses animais, sendo que em seu período de reprodução é proibida a captura.

Diferentes espécies escavam tocas onde passam grande parte do tempo, se camuflando ou escondendo-se dos seus predadores. O linguado, por exemplo, enterra-se na areia como forma de proteção, confundindo-se com a areia do fundo do estuário. Outros exemplos de animais que vivem nos estuários são os ceriantos, vieiras,  cenoura-do-mar e  peixe-boi.

Peixe-boi é um mamífero que habita o ecossistema estuário.

Peixe-boi é um mamífero que habita o ecossistema estuário. Foto ²: NASA

Algumas espécies de pássaros são comuns nesse ecossistema, como as gaivotas que se alimentam no lodo do estuário, as garças (Egretta thula), biguá (Phalacrocorax olivaceus) os pelicanos e cormoranes (pássaros mergulhadores).

Garça (Egretta thula) é uma das aves que habitam os estuários. Foto: Adam Kumiszcza (Own work) [CC-BY-SA-3.0], via Wikimedia Commons

Garça (Egretta thula) é uma das aves que habitam os estuários. Foto ²: Adam Kumiszcza (Own work) [CC-BY-SA-3.0], via Wikimedia Commons

A Reserva Natural do Estuário do Sado é um dos mais conhecidos estuários no mundo, é um local onde ocorre uma abundacia de vida e riqueza marinha. Sapais, canais e lagoas abrigam diversos animais como por exemplo, crustáceos, moluscos, cegonha branca, lontra, golfinho (Roaz corvineiro), texugo e algumas espécies de peixe.

Os estuários e alagados, assim como diversos biomas naturais do mundo, estão ameaçados de desaparecer com a crescente ocupação pelo homem. Sua proteção é de fundamental importância por causa do seu papel em nutrir a vida dos oceanos.

Fontes:
http://www.cadernos.ecologia.furg.br/artigos/04_Rosane.pdf
http://www.clubdeciencias.com.ar/avesweb/index.htm
http://www.prove.com.pt/peninsula-de-setubal2
http://aquariovgama.marinha.pt/AVGama/Site/PT/ProfsAlunos/agua_salgada/estuarios.htm
http://www.quercus.pt/scid/webquercus/defaultArticleViewOne.asp?articleID=2738&categoryID=567
CURTIS, Helena. Biologia. Ed. Guanabara. Segunda edição. Rio de Janeiro. 1977. FRONTIER, Serge. Os ecossistemas. Instituto Piaget, 2001.
Foto 1: NASA (domínio público) / via Wikimedia Commons
Foto ²: Adam Kumiszcza (Own work) [CC-BY-SA-3.0], via Wikimedia Commons