Coloração de Gram

É chamado de coloração de Gram o método de coloração utilizado para diferenciar espécies bacterianas em dois grupos, bactérias gram-positivas e gram-negativas. Entre os fatores que irão diferenciar gram-positivos de gram-negativos, está a coloração das bactérias, a composição e propriedades químicas e físicas das paredes celulares.

Outro método de diferenciação é a detecção de quantidade de peptídeoglicano nas bactérias gram-positivas e nas bactérias gram-negativas. As bactérias gram-positivas serão azul violeta, enquanto as gram-negativas serão vermelhas.

A estrutura que as bactérias irão apresentar é outro aspecto que pode ser levado em consideração para diferenciar as bactérias gram-positivas das gram-negativas.

O método de coloração de Gram é considerado um dos mais importantes dentro dos laboratórios de análises clínicas e microbiologia. Em laboratórios de análises clínicas, por exemplo, a técnica é essencial para obtenção de resultados. As bactérias são caracterizadas como gram-positivas ou gram-negativas em esfregaços de pus ou fluídos orgânicos, permitindo que o profissional do laboratório possa monitorar as infecções.

A técnica de coloração Gram em análises clínicas é usada principalmente para identificar preliminarmente a morfologia das bactérias ou para estabelecer se há um número significativo de bactérias nas amostras clínicas.

Apesar da resposta positiva obtida com os resultados das técnicas de coloração de Gram, outros métodos de identificação bacteriana devem ser utilizados para que o resultado seja o menos controverso possível.

Vale ressaltar que algumas bactérias não se coram ou coram-se fracamente.

Bactérias gram-positivas e gram-negativas. Fotos: Y_tambe / Wikimedia Commons ([1][2]) [CC-BY-SA 3.0]

Bactérias gram-positivas e gram-negativas, após a coloração de Gram. Fotos: Y_tambe / Wikimedia Commons ([1][2]) [CC-BY-SA 3.0]

Materiais

Lâminas para microscopia; óleo de imersão; lamínulas; microscópio; alça de platina; bico de Bunsen; tubo contendo solução com água esterilizada e corante: cristal de violeta.

Bactérias gram-positiva: lugol

  • Estafilococcus aureus - Safranina
  • Staphylococcus saprophyticus - Álcool 95%

Bactéria gram-negativa: gaze

  • Escherichia coli - Pisseta água destilada

Procedimentos

  1. Em uma lâmina, contendo esfregaço seco, cubra-o pingando gotas de violeta-de-metila e deixe agir por 15 segundos;
  2. Adicione água ao esfregaço, em cima do violeta-de-metila, cobrindo toda a lâmina. Deixe agir por mais 45 segundos;
  3. Após o tempo corrido, escorra o corante e lave o esfregaço em um filete de água corrente.  Cubra a lâmina com lugol ou Iodo de Gram e deixe por 60 segundos;
  4. Escorra todo o lugol e lave em um filete de água corrente;
  5. Aplique álcool etílico a 95%, ou acetona, para descorar a lâmina por 10 a 20 segundos;
  6. Lave em um filete de água corrente;
  7. Cubra toda a lâmina com safarina e deixe corar por aproximadamente 30 segundos;
  8. Lave a lâmina em um filete de água;
  9. Seque a lâmina com auxílio de um papel de filtro limpo ou deixe-a secar ao ar livre;
  10. Aplique uma gota de óleo de imersão sobre o esfregaço e observe no microscópico com objetiva de imersão (100 X).

A técnica que consiste na coloração das bactérias apresenta diagnóstico clínico correto em 80% dos testes realizados, levando em consideração a simplicidade e velocidade da técnica, o número é extremamente positivo. Essa técnica ainda possui baixo custo e instalações simples.

Curiosidades

O método de coloração de Gram existe há mais de um século. Foi desenvolvida em 1884 por Hans Gram.

Referências Bibliográficas:
http://www.provida.ind.br/site/index.php/bacterias/bacterias/122-tecnica-de-gram.htmlm
https://en.wikipedia.org/wiki/Gram_staining
http://www.biomedicinabrasil.com/2011/06/coloracao-de-gram.html
http://serc.carleton.edu/microbelife/research_methods/microscopy/gramstain.html

Arquivado em: Bioquímica, Microbiologia