Excesso de Informação

Por Fernando Rebouças
No mundo atual, o volume de informações e dados que são publicados e transmitidos é multiplicado por dez a cada cinco anos. Segundo analistas, no ano de 2013, haverá a circulação de cerca de 667 exabytes circulando pela internet.

Propiciar maior acesso à informação e interatividade virtual são umas das primícias de programas sociais por parte de governos de países de economia emergente, para que, no decorrer do século 21, não exista uma grande massa de pessoas analfabetas digitalmente. Por outro lado, há algo que preocupa nas questões sociais e psicológicas, como educar cada pessoa a filtrar e selecionar as melhores informações trocadas e recebidas pela web?

Desde o início deste texto, você deve está se perguntando: o que é “exabyte”? Para quem não tem muita intimidade com a linguagem da informática, cada arquivo ou dado que você armazena e envia em seu computador ou dispositivo móvel, como o pen drive, possui uma espécie de “peso” que crescentemente seguem, popularmente, a seguinte ordem: byte, kilobyte, megabyte, gigabyte, terabyte, petabyte e exabyte. Essa lista continua :

1 Byte = 8 bits
1 Kilobyte (KB) = 1024 bytes
1 Megabyte (MB) = 1024 kilobytes
1 Gigabyte (GB) = 1024 megabytes
1 Terabyte (TB) = 1024 gigabytes
1 Petabyte (PB) = 1024 terabytes
1 Exabyte (EB) = 1024 petabytes
1 Zettabyte (ZB) = 1024 exabytes
1 Yottabyte (YB) = 1024 zettabytes

O exabyte significa 1 bilhão de gigabytes.  Saindo da área técnica da informática e retornando ao estudo de quantidade de acessibilidade, segundo os estudiosos da área cognitiva, a evolução da quantidade de armazenamento e transmissão de informação acelerada pela internet poderá ocasionar no risco do “cognitive overload” nas pessoas, em português o termo significa “sobrecarga cognitiva” e se refere ao trabalho de aprendizagem cerebral acima de sua demanda natural.

Nesse estudo há o aspecto social, segundo a revista Economist, entre os anos de 1990 e 2005, a classe média em todo mundo aumentou em 1 bilhão de pessoas, pessoas que passaram a ter mais acesso à educação e à internet, ampliando o volume de conteúdo na rede. Nos tempos atuais, como o crescimento do e-commerce, a Wal-Mart já realiza mais de 1 milhão de transações efetuadas pelos seus consumidores a cada hora, e no setor de mídias sociais, o Facebook hospeda 40 bilhões de fotos.

Sabemos que a informação consome a atenção da pessoa e a internet, em determinado nível, a privacidade. Além da atenção, o excesso de informação diminui a capacidade de retenção da memória no processamento de informações guardadas para longo prazo, cientificamente, para que uma informação fique memorizada por mais tempo no cérebro, ela é trabalhada na região do hipocampo.

A memória humana tem sido esquecida em tempos de memória virtual, o velho e bom hábito de ler ajuda a fortalecer o funcionamento da memória humana, enquanto que o excesso de informação provinda das mídias e da internet em grande volume pode levar o indivíduo ao estresse e à  baixa  concentração.

Referências:
http://www.digestivocultural.com/newsletter/20100312a.htm
http://www.consciencia.net/comportamento/saude/memoria.html