Santíssima Trindade

A Trindade ou a Santíssima Trindade é o ponto central da doutrina cristã, um de seus mistérios mais difíceis de decifrar e de entender. Embora o Cristianismo seja uma religião monoteísta, contraditoriamente ela defende o ponto de vista da Trindade – um só Deus na forma de três seres diferentes: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. O Judaísmo e o Islamismo, bem como outras igrejas cristãs, igualmente monoteístas, não professam esta mesma fé na Trindade. Os que acreditam neste dogma baseiam-se em passagens da Bíblia, principalmente as que se referem ao batismo de Jesus, durante o qual uma pomba branca, supostamente o Espírito Santo, teria se derramado sobre o Messias. Esta expressão, porém, não está presente em nenhum ponto dos textos bíblicos, ou seja, é uma denominação criada exclusivamente pela Igreja Católica.

Estas três pessoas que integram a Trindade têm em comum a mesma natureza sagrada, igual nobreza, generosidade e santidade. Mas a Igreja também designa para cada uma delas tarefas distintas. Ao Pai cabe a Criação do Universo, a salvação tem mais a ver com o Filho e o processo de purificação espiritual é um papel desempenhado pelo Espírito Santo. Todos têm o mesmo poder e nenhum deles se sobrepõe ao outro. Este dogma católico é inquestionável, pois é determinante na crença cristã.

A Igreja justifica filosoficamente este conceito, valendo-se de Aristóteles. Jesus, entendido como um Deus, só poderia, segundo a concepção aristotélica de ‘substância’ – segundo a qual cada ser é composto de uma substância distinta, própria da categoria a qual ele pertence – ser concebido por outro Deus, no caso o Espírito Santo. Segundo esta concepção, “o corpo de Jesus” não poderia ser igual ao dos outros homens, mas sim “fluídico”. Além disso, os que crêem nesta idéia consideram o corpo material um mal, portanto totalmente incompatível com a Natureza Divina de Jesus, um Deus “feito homem”.

Embora a Igreja se baseie na Bíblia e em filósofos como Aristóteles, ela não aconselha nenhuma tentativa de se decifrar este mistério, pois prefere mantê-lo envolto em uma aura sobrenatural. Santo Agostinho, porém, um dos doutores da Igreja, tentou compreender a todo custo esta questão, mas acabou concluindo que a mente do Homem ainda é muito limitada para entender Deus e seus enigmas pelos métodos racionais conhecidos. A Igreja inclusive separou uma data em seu calendário de festas religiosas para a celebração da Santíssima Trindade, uma das festividades mais importantes do ano litúrgico.

Segundo o Catolicismo, Deus Pai foi incriado, ou seja, não tem começo nem final; Deus Filho se origina do Pai por toda a eternidade, dele foi gerado, mas não criado; Deus Espírito Santo vem do Pai e do Filho, é uma espécie de sopro divino que surge do amor divino que flui entre o Pai e o Filho, ele é o próprio amor personalizado, inicialmente revelado no batismo de Jesus e depois no Pentecostes, quando se derrama sobre os discípulos do Mestre. Na visão da Igreja, Ele está dentro de cada um sob a forma da caridade.

Fontes
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sant%C3%ADssima_Trindade
http://www.paginaoriente.com/anoeclesiastico/trindadesanta.htm
http://www.lepanto.com.br/ApSSTr.html

Arquivado em: Cristianismo