Aeromodelismo

O Aeromodelismo é a arte de planejar e edificar aeromodelos – miniaturas de aeronaves utilizadas com objetivos experimentais, esportivos ou recreativos. Esta atividade envolve a manipulação e a manobra destes objetos de pequena dimensão – aviões, balões, foguetes, entre outros -, construídos pelos aeromodelistas.

Foto: Fineart1 / Shutterstock.com

Foto: Fineart1 / Shutterstock.com

O Homem sempre acalentou o sonho de voar, invejoso do sucesso dos pássaros. As tentativas de alcançar esta meta são, portanto, bem anteriores ao século XIX, embora não existam comprovações concretas desta prática. A experiência mais recente é a do francês Alphonse Penaud que, em 1870, criou o motor a elástico, evento contemporâneo do aparecimento e da consolidação dos fundamentos teóricos iniciais que impulsionaram o nascimento da aviação.

Mas é em princípios do século XX que o Aeromodelismo se aprimora e se estrutura, particularmente como um hobby, aproveitando os recursos oferecidos pelo desenvolvimento tecnológico que marcou este momento. Com certeza as inovações próprias do campo do sistema de navegação aérea determinaram o incremento da construção de novos protótipos de naves, revelando o quanto estas duas práticas se interconectam, refletindo uma sobre a outra.

Atualmente esta prática encontra-se amplamente disseminada e estruturada. A Confederação Brasileira de Aeromodelismo, ou COBRA, foi instituída em 1959, está sediada em São Paulo e congrega os clubes e os agrupamentos que se devotam ao exercício desta prática em todos os recantos do país. Anteriormente conhecida como Associação Brasileira de Aeromodelismo (ABA), ela é oficialmente aceita pelo Departamento de Aviação Civil do MInistério da Defesa e pelo Conselho Nacional de Desportos do Ministério do Esporte, como instituição suprema na coordenação desta atividade no Brasil.

Há inclusive um local próprio para o pouso e a decolagem dos aeromodelos, o aeromodelódromo, munido até mesmo de uma certa infra-estrutura. Há diversos tipos de Aeromodelismo, entre eles o VCC – no qual os objetos voadores movem-se no ar de forma circular, dominados pelo aeromodelista através da manipulação de cabos -; o Vôo Livre – a miniatura, após ser impulsionada, não é mais controlada pelo praticante; ela pode ser provida de motor, elástico ou ser desprovida de propulsão particular -; e o Rádio Controlado ou RC, submetido ao seu condutor através de um rádio de controle remoto.

Hoje a modalidade mais generalizada é a do Rádio Controlado, que conforme a espécie de motor nela utilizada pode ser classificada como Aeromodelos com motores a explosão ou movidos a combustão interna, os quais podem atingir tamanhos acima dos 50% das proporções de um avião real; e Aeromodelos com motores elétricos, que se valem dos recursos tecnológicos mais avançados, e detêm o potencial de alcançar o porte e o peso mais diminutos.

Estes modelos elétricos possibilitam igualmente um som mais reduzido, a edificação de aeronaves com muita perspicácia na escala visual, a elaboração de miniaturas multimotores, ou seja, bimotores, trimotores, quadrimotores, entre outros. Estas características potencializam aterrissagens mais vagarosas, vôos em recintos fechados ou amplamente abertos, como os parques. Hoje há protótipos de aeronaves para todos os bolsos, desejos e probabilidades.

Fontes
http://pt.wikipedia.org/wiki/Aeromodelismo
http://www.itu.com.br/noticias/detalhe.asp?cod_conteudo=10020&adm=1
http://pt.wikipedia.org/wiki/Confederação_Brasileira_de_Aeromodelismo
http://aprendagratis.cla08.net/category/aeromodelismo-i/

Arquivado em: Curiosidades