Código de Barras

Vivemos em uma sociedade em que a valorização do tempo é cada vez mais latente, nesse sentido situações simples como efetuar pagamentos em supermercados, bancos, etc, poderia se tornar algo ainda pior, pois estamos sujeitos a ter que esperar em filas enormes para realizar tal ação.

Nesse contexto, a matemática juntamente com a evolução das tecnologias trouxe-nos grandes contribuições para agilizar essa tarefa. Fazemos uso dos códigos de barras diariamente, e muitas vezes nem se quer pensamos o quanto é fundamental esse mecanismo de identificação para sociedade atual.

O primeiro código de barra patenteado foi realizado em 1952, por Joseph Woodland e Bernard Silver, contudo, apenas na década de 70 é que foi definido um padrão no formato numérico para se fazer as identificações de produtos e amplamente utilizado nos Estados Unidos e Canadá.

A figura ao lado representa um código de barras, no qual a leitura é realizada por leitor de código de barras (scanner). O scanner projeta raios vermelhos nas barras, nas partes escuras a luz é absorvida e nos espaços em branco a luz é refletida; os dados feitos nessa leitura óptica são analisados rapidamente pelo computador e convertidos em letras ou números, de acordo com o cadastrado realizado de cada produto. Portanto, com mais esse recurso matemático atrelado as tecnologias, a sociedade pode usufruir seus benefícios tornando o cotidiano mais dinâmico

Para saber mais consulte:
www.ime.ufg.br/bienal/2006/mini/polcino.pdf
http://www.barcodeisland.com/ean13.phtml

Arquivado em: Curiosidades