Vidro Blindado

Vidros blindados, ou vidros à prova de bala, são feitos de um material transparente, porém extremamente resistente, principalmente contra à penetração quando atingindo por balas de armas de fogo, mas, como qualquer outro material, não é totalmente impenetrável. Geralmente, o vidro blindado é constituído por uma combinação de dois ou mais tipos de vidro, um duro e outro macio. A camada macia torna o vidro mais elástico, fazendo com que ele se flexione, ao invés de se estilhaçar. Os índices de refração dos vidros usados nas blindagens devem ser devem ser os mais parecidos possíveis, para manter o vidro transparente, permitindo uma visão limpa, e não distorcida, através do vidro. As blindagens podem variar de espessura, de 19mm a 76mm.

Existe uma forma mais popular de blindagem de vidros, que usa laminados de segurança na superfície de um vidro comum, que são unidos com a aplicação de um adesivo super resistente, proporcionando uma proteção similar àquela que usa várias camadas de vidros à prova de bala. A vantagem desse método, além do preço, é que a espessura e o peso das blindagens podem diminuir entre 50 e 70%, além do procedimento poder ser feito em vidros já existentes.

Vidros blindados, normalmente, são construídos usando policarbonatos, termoplásticos e lâminas de vidro. O objetivo é criar um material com a aparência e transparência de um vidro comum, porém que proporcione uma proteção efetiva contra disparos de armas de baixo calibre. A capacidade própria do vidro em tolerar impactos já é melhorada pelo da têmpera, quando passa por um processo térmico para melhorar suas características como a dureza e a resistência. Normalmente, na camada de policarbonato é usado um revestimento, que pode ser de dois tipos: um revestimento macio, que é capaz de “curar” depois que é riscado (como elastoméricos de carbono à base de polímeros), ou então é usada um revestimento mais duro, que previne que ele seja riscado (como polímeros à base de silício).

O plástico usado fornece uma alta resistência para impactos físicos, como ataques feitos com tacos, martelos e machados, além de melhorar, um pouco, a propriedade balística de todo o composto. O vidro, que é muito mais duro que o plástico, achata o projétil, o plástico então é deformado (absorvendo a energia gerada), o que acaba por evitar a penetração da bala. A capacidade da camada de policarbonato de deter os projéteis com energia variável, está diretamente ligada à sua espessura, além do tipo de vidro balístico usado, que pode ser de até 76mm. Blindagens militares normalmente usam folhas de vidro coladas em conjunto com polivinil butiral, poliuretano ou etileno-acetato de vinila. Esse projeto é usado em veículos de combate desde a Segunda Guerra Mundial, sendo, geralmente, extremamente espesso e pesado.

As propriedades balísticas do vidro podem ser afetadas pela temperatura, pela exposição a solventes ou pela radiação ultravioleta, normalmente proveniente da luz do Sol. Se a camada se policarbonato estiver sob uma camada de vidro, ela terá alguma proteção contra os raios UV. Além disso, com o passar do tempo, o policarbonato se torna mais e mais frágil, porque se tratar de um polímero amorfo (propriedade necessária, para que ele seja transparente) que acaba se movendo, seguindo o equilíbrio termodinâmico. Por exemplo, uma camada de policarbonato que seja atingida por um projétil, num ambiente com temperatura inferior a 7°C, pode ser estilhaçada em pequenos pedaços de policarbonato.

Fontes:
http://science.howstuffworks.com/question476.htm
http://super.abril.com.br/tecnologia/como-feito-vidro-blindado-443093.shtml
http://en.wikipedia.org/wiki/Bulletproof_glass

Arquivado em: Curiosidades