População da Austrália

Por Thais Pacievitch
A população da Austrália é composta por pessoas de diversas origens. Pesquisas arqueológicas no noroeste da Austrália apontam a possibilidade de que uma pintura encontrada em uma rocha possa ter aproximadamente 175 mil anos. Os sítios arqueológicos encontrados até então apontam a presença do homem a mais de 40 mil anos na região. As tradições culturais da região estão entre as mais antigas do mundo.

Como a colonização desse território teve início há pouco mais de dois séculos, o número de imigrantes no país ainda é grande, cerca de um imigrante para cada dois australianos de fato. O último censo ocorreu a mais de 10 anos, em 1996, e apontou que 92% da população são caucasianos, 7% são asiáticos. O 1% restante é composto pelos aborígines (povo nativo do continente) e por outras etnias. Em 2007, a população da Austrália foi estimada em 20.434.176 de habitantes.

A taxa de crescimento da população é pequena, de 0,824% ao ano (2007), enquanto a expectativa de vida é grande, chegando aos 80,62 anos (mulheres: 83,63 anos, homens: 77,75 anos). O índice de natalidade foi de 1,76 filhos por mulher. A taxa de mortalidade infantil no país, em 2007, foi de 4,57 mortes a cada 1000 nascimentos.

A grande maioria, cerca de 90% da população, vive nas grandes cidades ao longo da costa australiana. O restante habita no interior do país. Embora não haja uma diferença significativa em relação à renda das pessoas que moram nas cidades para as que vivem no interior, o clima é bem diferente.

A irrisória taxa de analfabetismo no país é impressionante. Menos de 1% da população acima de 15 anos não sabe ler e escrever. Além disso, os serviços de saúde são gratuitos e de qualidade, a criminalidade é baixa e os índices de poluição entre os menores do mundo.

A religião no país é livre. Embora existam pequenas comunidades de budistas, muçulmanos e judeus, a maioria da população é cristã.
O povo australiano tem fama de ser informal, amigável e nem um pouco preconceituoso, seja com os imigrantes, seja com os homossexuais. Embora sua cultura seja baseada, em maior parte, na cultura européia, a Austrália já apresenta identidade própria, conseqüência da mistura da cultura dos aborígines, dos imigrantes e das condições ambientais.