Berne

Por Débora Carvalho Meldau
O berne, também denominado de dermatobiose, é uma infecção causada pela larva da Mosca Dermatobia hominis, conhecida no Brasil pelo nome popular de “mosca varejeira”. Desenvolve-se no tecido subcutâneo de diversos animais, principalmente os bovinos, e também de humanos. Esta infecção é um tipo de miíase, porém a lesão causada por esta larva é diferente.

Esta mosca possui um hábito de ovoposição distinto das outras, pois ela necessita de outro inseto, que geralmente é também outra espécie de mosca, para levar seus ovos até um hospedeiro. Seu ciclo de vida é basicamente rural, diferenciando-se duas fases: fase doméstica e fase selvagem. A primeira fase acontece entre os animais e os insetos que carregam seus ovos, sendo observado um grande número de animais parasitados; a segunda fase ocorre em áreas de bosque que possui animais domésticos por perto, onde o número de animais infestados e o grau de infestação são baixos.

Quando o vetor deposita os ovos na pelagem de um animal, as larvas saem do ovo caminham entre os pêlos, até atingirem a pele, perfurando-a e em seguida, penetrando-a. Após uma semana de parasitismo, a larva já aumentou em oito vezes o seu tamanho, podendo permanecer por até 40 dias ou mais na pele do hospedeiro, crescendo de forma contínua. O orifício por onde houve a penetração da larva continua aberto, para que a larva respire.

Os pequenos espinhos que recobrem o corpo da larva causam incômodo e dor ao hospedeiro quando o berne movimenta-se. Caso a larva morra antes do terminar seu ciclo, o orifício por onde esta respirava, fecha-se e o nódulo presente sob a pele pode ser absorvido ou não pelo organismo do hospedeiro.

A remoção da larva deve ser feita por profissionais especializados. Quando for o caso de animais, um médico veterinário deve realizar o procedimento, espremendo de modo correto para forçá-la a sair; em certas situações, dependendo de sua localização pode ser necessário que se faça a aplicação de sedativos nos animais para que estes possam suportar a dor. Quando a retirada é feita nos humanos, deve-se buscar ajuda médica, sendo que este pode realizar a remoção da larva através de sua asfixia, pois ela irá projetar sua cabeça para fora do orifício em busca de oxigênio, ou então pode realizar da retirada cirúrgica do berne.

O correto é a realização do controle da mosca Dermatobia hominis, feito quase que exclusivamente através de produtos químicos, focando o estágio larval deste parasita que é realizada no hospedeiro. Este controle reduz os prejuízos na produção, entretanto deixa resíduos no ambiente e nos animais. Os produtos químicos podem ser aplicados no dorso do animal, pode ser através de banhos, nas formas parenteral, subcutânea e oral.

Fontes:
http://www.webanimal.com.br/cao/index2.asp?menu=berne.htm
http://www.cnpgc.embrapa.br/publicacoes/divulga/GCD27.html
http://www.intervet.com.br/Doencas/Berne/010_Introdu__o.aspx
http://www.fasprotecaoanimal.org.br/berne.asp
http://pt.wikipedia.org/wiki/Berne

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.