Cobreiro

Graduação em Biologia (CUFSA, 2010)
Especialização/MBA em Análises Clínicas (Uninove, 2012)

O Herpes Zoster (HZ), conhecida como cobreiro, é uma doença de pele muito comum, principalmente em idosos e indivíduos imunocomprometidos, como indivíduos infectados pelo vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), pessoas transplantadas e pacientes oncológicos que fazem quimioterapia para o tratamento do câncer, causada pelo herpes vírus Varicela-Zoster (VVZ), o mesmo que provoca a varicela (catapora).

O HZ é causado pela reativação do vírus da varicela. O vírus permanece inativo em um gânglio da medula espinhal e em algum momento pode ser reativado. Ou seja, apenas quem já teve a catapora vai desenvolver a cobreiro. Mesmo aqueles indivíduos que não apresentaram a catapora sintomática, mas entraram em contato com o vírus. Agora, quem nunca teve a catapora e entrar em contato com o cobreiro, primeiramente vai desenvolver a catapora, pois ela é a manifestação primaria do vírus.

Sintomas

Quando o vírus é reativado, ele segue o caminho de um nervo, como ele está em um gânglio, vai para o nervo correspondente, por essa razão, assim como a catapora, aparecem bolhas de água, mas nesse caso apenas de um lado do corpo. As regiões mais afetadas incluem da coluna até a área frontal da barriga ou do tórax, ainda podem ocorrer bolhas e feridas no rosto, nos olhos, na boca e nas orelhas. Em geral, as vesículas se distribuem ao redor da cintura. O nome da doença em inglês é shingles, do latim cingulum, que significa cinto.

Existe um mito muito difundido de que se a pessoa infectada por cobreiro tiver as bolhas ou feridas completando a volta inteira no corpo, ela morre. Essa informação não procede. Como foi dito, o vírus segue o caminho de um nervo, e por isso costuma aparecer apenas de um lado do corpo, mas apesar de raro, pode acontecer das bolhas aparecerem nos dois lados.

Os principais sintomas incluem muita dor no local atingido, vermelhidão, formigamento, inchaço, febre e após aproximadamente três dias surgem bolhas. As feridas somem em média em 10 dias, mas podem durar até 21 dias. Existem complicações mais sérias associada a infecção, como a dor permanecer por tempo prolongado, que ocorre quando os nervos são danificados após uma crise de cobreiro, conhecido como nevralgia (inflamação crônica do nervo) e caso a lesão ocorra no nervo da face, podem ocorrer a diminuição da audição, alterações nos olhos e até paralisia facial.

Transmissão

Assim como a varicela, a transmissão ocorre pelo contato direto, pessoa-pessoa, através do contato com as secreções produzidas pelas bolhas do indivíduo infectado. O cobreiro pode aparecer em situações de estresse, exposição solar, ou alguma baixa no sistema imunológico.

Tratamento

O tratamento é baseado em medicações antivirais, como o Aciclovir, que ataca o vírus e progressivamente vai eliminando os sintomas. É necessário evitar o contato com as feridas de pessoas infectas. Existem também uma eficiente vacina para o HZ, que é a mesma vacina da catapora, mas com maior quantidade do agente imunizante.

Bibliografia:

TORTORA, G.J., FUNKE, B.R., CASE, C.L. Microbiologia. -8. ed.-Porto Alegre: Artmed, 2005.

PORTELLA, A.V.T., et al. Herpes-zóster e neuralgia pós-herpética. Rev. dor vol.14 no.3 São Paulo July/Sept. 2013

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças