Cobreiro

Por Thais Pacievitch
Cobreiro
Cobreiro
Informações sobre: Cobreiro
Agente causador: Herpes zoster

Transmissão: contato com as secreções das bolhas de catapora de um doente; o vírus da catapora pode ficar inativo por décadas, até ser reativado quando houver uma grande baixa na imunidade.

Principais sintomas: bolhas vermelhas na pela, logo acima do nervo atacado pelo vírus.

Tratamento: a doença não tem cura, porém são utilizados antivirais para evitar o espalhamento, e analgésicos para diminuir a dor

Prevenção: evitar causar uma baixa da imunidade - as causas disso podem ser AIDS, stress, problemas emocionais, etc;

O cobreiro é uma doença causada por um vírus chamado herpes zoster, que tem como sintoma uma infecção muito dolorida em um ou mais nervos, gerando coceira intensa e erupções de pequenas bolhas na região afetada. Os sintomas começam com um formigamento seguido de dor parecida com de pontadas ou queimaduras. Em seguida (entre 2 e 3 dias) surgem as erupções, que se enchem de pus, e que somente no fim de duas ou três semanas, estouram e criam cascas.

Segundo a crença popular, uma pessoa pega cobreiro por entrar em contato direto com uma roupa por onde algum inseto ou animal peçonhento tenha passado. Porém, o cobreiro é causado pelo mesmo vírus da varicela (catapora). A varicela é uma doença viral, que geralmente só se pega uma vez na vida. O que é ignorado pela maioria das pessoas, é que o vírus não vai embora. Ele permanece alojado nas células nervosas, podendo se manifestar anos depois da varicela, mas já em forma de cobreiro.

Portanto, se uma pessoa não teve varicela, ao entrar em contato com o vírus herpes zoster, ainda que seja adulta, não terá cobreiro e sim a própria varicela.

Alguns cientistas acreditam que uma lesão na área afetada, ou problemas físicos e/ou emocionais, como estresse podem despertar o vírus inativo, causando o cobreiro.

Normalmente o cobreiro ataca pessoas com mais de 45 anos, ou em alguns casos especiais, como pessoas imunossuprimidas (portadores de HIV ou que tenham feito transplante, por exemplo). Nesses casos o cobreiro pode se espalhar pelo corpo, podendo inclusive levar ao óbito.

As áreas mais comumente atacadas são: costas, pescoço, braços e pernas; e o mais perigoso, o rosto. Quando afetam o rosto, as lesões podem atingem o nervo trigêmeo e, nos casos mais graves, podem provocar surdez e cegueira.

Assim como a varicela, a maioria das pessoas só tem cobreiro uma vez. Pórem, pessoas com mais de 60 anos podem sofrer de neuralgia pós-herpética, que consiste na continuidade da dor no local afetado, mesmo depois de meses ou até anos após o desaparecimento das bolhas.

O tratamento visa à diminuição da dor e do incômodo na região afetada, pois não há cura para o cobreiro.

Veja também:

  1. Catapora
AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.