Paralisia das pregas vocais

Por Douglas Jivago

Pregas ou cordas vocais

Conhecidas popularmente como cordas vocais, as pregas vocais são estruturas musculares presentes na laringe e responsáveis, em conjunto com outros órgãos e estruturas, por funções como fonação e proteção das vias aéreas. Existem duas pregas vocais ditas verdadeiras e duas, falsas. Neste estudo vamos nos deter a explorar a função das pregas verdadeiras.

Funcionamento das pregas vocais

Tais estruturas tem funcionamento durante a fala, canto, como também enquanto não produzimos voz. Enquanto inspiramos as pregas vocais se afastam uma da outra para que o ar inspirado possa passar para o restante do percurso respiratório. A produção da voz acontece no retorno desse ar.

Quando os estímulos nervosos transferem a informação de produção de som para as pregas vocais, estas fecham-se, enquanto o ar volta dos pulmões. Quando a coluna de ar passa pelas pregas vocais fechadas, provoca nelas vibração. Esse movimento vibratório proporciona a “fabricação” do som vocal. Quando não existe a necessidade de produzir som, as pregas ficam relaxadas e separadas uma da outra.

A paralisia

As pregas vocais movimentam-se pela ação dos músculos laríngeos, controlados pelo nervo larígeo recorrente ou nervo vago. A paralisia de prega vocal ocorre quando uma ou as duas pregas vocais, por alguma agressão ao nervo vago, encontra(m)-se sem mobilidade.

Quando a paralisia é de apenas uma prega vocal, denomina-se “paralisia unilateral”. Quando o problema encontra-se nas duas pregas, chamamos “paralisia bilateral de prega vocal”.

Portanto, se uma ou as duas pregas vocais encontram-se paralisadas, tanto a fonação quanto a respiração será afetada.

Sintomas

O sintomas são básicos:

  • Rouquidão ou voz bitonal (voz parecida com um gargarejo);
  • Dificuldade de respirar (o que pode indicar uma paralisia bilateral);
  • Engasgo pode ocorrer em alguns casos.

Suspeita e detecção

Quando o paciente encontra-se em quando de rouquidão prolongada (mais de duas semanas), já deve procurar auxílio médico, pois pode tratar-se de paralisia de prega vocal ou de uma série de outros problemas.

O otorrinolaringologista, por meio do exame chamado laringoscopia, detecta a presença ou não da paralisia de prega vocal. Tal exame é por meio de imagem direta da laringe e serve para investigar uma série de outros males da laringe e faringe.

Causas

Pode ocorrer por uma série de problemas como infecções no nervo vago, tumores (malignos e benignos) que estejam comprimindo o nervo responsável pela mobilidade das pregas vocais, ou por outro tipo de compressão do nervo.

Tratamento

A principal busca é pela descoberta da causa. Depois de feita a descoberta, empenha-se no tratamento específico.

Indica-se tratamento a base de fonoterapia, principalmente nos casos de paralisia unilateral, com o intuito de “acostumar” a prega vocal sadia a adaptar-se a uma aproximação maior da prega acometida. Em alguns casos ocorrer a reversão natural do quando, em outros não. Indica-se ainda, tratamento cirúrgico a base de injeções de teflon na prega vocal doente para aproximá-la mais do centro da laringe, o que facilita a vibração das duas pregas.

Em caso de paralisia bilateral, o intuito é facilitar a respiração do paciente, pois, como já explicamos, nesses casos, as pregas vocais não se separam para a passagem do ar até os pulmões. Por vezes, é necessário realizar traqueostomia (uma abertura no pescoço, diretamente na traquéia para que o ar possa passar pelas vias aéreas).

Fonte:
http://www.medipedia.pt/home/home.php?module=artigoEnc&id=202

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.