Uretrite

Por Débora Carvalho Meldau
Uretrite é a designação genérica para processos inflamatórios ou infecciosos da uretra (canal responsável por conduzir a urina da bexiga para o meio externo) masculina e feminina.

As infecções que acometem a uretra têm grande importante para a saúde pública, pois muitas delas são causadas por patógenos transmissíveis durante o ato sexual, causando epidemias de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

A uretrite apresenta diversas etiologias, sendo que a mais conhecida é  a uretrite gonocócica, provocada pela bactéria Nesseria gonorrheae, que foi descrita 400 a.C., por Hipócrates. Outro agente causador de uretrites é a Chlamydia, bactéria intracelular altamente infectante.

Existem outras causas também de uretrites, que não as causadas por patógenos, como:

  • Química, como por exemplo, devido ao uso de espermaticida durante as relações;
  • Traumática: devido a cirurgias, corpos estranhos, sonda, entre outros.
  • Viral;
  • Neoplasias;
  • Uretrite psicogênica.

A maioria das uretrites são sexualmente transmissíveis. Houve um aumento da frequência dessa afecção nos últimos anos, devido:

  • À promiscuidade sexual;
  • Ao fácil acesso a anticoncepcionais;
  • À divulgação de material erótico e pornográfico;
  • À prática de automedicação com tratamentos inadequados;
  • Ao grande número de portadores que não manifestam a doença;
  • A não utilização de preservativos.

As manifestações clínicas das uretrites são dor durante a micção, aumento da frequência urinária, corrimento, dor durante a ejaculação ou relações sexuais. Menos frequentemente pode haver dor testicular, febre e mal estar.

O diagnóstico é feito com base no quadro clínico apresentado pelo paciente. Caso haja a presença de secreção (corrimento), ela deve ser coletada com instrumento adequado e enviada para o laboratório, para identificação da bactéria e realização do tratamento adequado.

Quando se tratar de uma uretrite infecciosa, o tratamento é feito com o uso de antibióticos. Abstinência sexual e uso de preservativos é  recomendado durante o tratamento. Em alguns casos é importante também tratar o parceiro, mesmo que este seja assintomático, para evitar uma nova contaminação do paciente.

Fontes:
http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=4858&ReturnCatID=1746
http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?442
http://www.drauziovarella.com.br/ExibirConteudo/3002/uretrites
http://pt.wikipedia.org/wiki/Uretrite

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.