Demanda do consumidor

Um dos grandes temas da microeconomia sempre foi estudar o comportamento da massa consumidora, e procurar adivinhar seus passos, algo que seria de grande interesse para as empresas e corporações, que poderiam ter a segurança de sempre ter a sua fatia de mercado, mantendo-se ativas por quanto tempo desejassem. Dentro do estudo da microeconomia, a Teoria da Demanda é um dos fatores estudados, além da Teoria da Produção e dos Custos, Teoria da Firma e Teoria das Estruturas de Mercado.

Demanda pode ser conceituada como a quantidade de determinado bem ou serviço que os consumidores desejam adquirir. Assim, a demanda constitui-se no mundo real em um desejo, uma vontade. Explicar e prever tal vontade com relação a um produto ou serviço começa com o exame do comportamento do consumidor, pois a demanda total de mercado deste mesmo produto ou serviço é a soma de todas as demandas individuais.

Assim, temos uma relação multivariada, onde muitos fatores simultâneos necessitam de consideração. Tradicionalmente, a teoria da demanda do consumidor irá se concentrar em quatro fatores agindo ao mesmo tempo: preço da mercadoria, preços de outras mercadorias, rendas e gostos. Tal ideia de como formular a demanda nasceu de um conceito um tanto quanto vago, o de "utilidade", onde imaginamos um indivíduo "racional", que consuma respeitando sua renda e os preços de mercados dos vários itens disponíveis.

Presume-se, dado a uma lógica comportamental deste indivíduo, que ele sempre buscará obter o máximo de satisfação individual em cima do preço que gasta no consumo daquele produto. Para a economia mais tradicional, isto é o chamado axioma da maximização da utilidade.

Estabelecido, ainda que de modo bastante ortodoxo o fator demanda do consumidor, é importante entender que este influenciará por sua vez outro fator, a oferta e seu respectivo movimento. Com isso, as empresas irão buscar uma maior sintonia com as preferências de seus consumidores e identificar a demanda por determinado produto ou serviço, permitindo ao produtor que se ajuste aos números do mercado.

É com esse intuito que o economista passa a se utilizar da matemática, para saber se o consumidor irá buscar mais ou menos daquele determinado produto, ou mesmo reter seu dinheiro, abstendo-se de consumir. Desse modo, surge a "função demanda" que permitirá medir as flutuações experimentadas pelo mercado. A função demanda será representada por meio de equações ou de um gráfico, geralmente formando uma linha diagonal que parte da esquerda para a direita. Tal linha no gráfico representa a chamada "demanda de mercado", produto das demandas individuais dos consumidores.

Outro conceito digno de atenção dentro do estudo da demanda do consumidor é o de elasticidade da demanda, que estabelece uma relação entre o preço e a quantidade consumida de determinado produto, sendo tais grandezas inversamente proporcionais.

Bibliografia:
COSTA, Reinaldo Pacheco da. Introdução à Economia - Elementos de microeconomia (Demanda). Disponível em: http://www.scribd.com/doc/53070482/13/FUNCAO-DEMANDA-DO-CONSUMIDOR ; Acesso em: 2 ago. 2011.

Arquivado em: Economia