Taxa de Câmbio

Por Emerson Santiago
Entende-se por taxa de câmbio o preço de uma moeda estrangeira qualquer medido em unidades ou frações da moeda nacional. Como ocorre praticamente em todo mundo, a moeda mais utilizada em tal aferição é o dólar norte-americano, fazendo dessa moeda a referência usual de cotação a ser utilizada no meio financeiro nacional e mundial. Em outras palavras, a taxa de câmbio funciona como uma espécie de unidade de peso ou medida a ser aplicada no campo econômico, servindo assim como referência do custo de uma determinada moeda em relação a outra qualquer. As cotações apresentam taxas para a compra e para a venda da moeda, assumindo maior ou menor valor com a evolução das transações financeiras do dia.

O ambiente onde se realizam as operações de câmbio é denominado "mercado de câmbio", responsável por conectar os interesses dos diversos agentes em negociar moedas estrangeiras, comprando e vendendo de acordo com suas necessidades. Os responsáveis pelo fornecimento das moedas são agentes autorizados pelo Banco Central para operarem em tal setor financeiro, sendo incumbidos de repassar estas divisas aos clientes que as necessitam (empresários, empreendedores, comerciantes, etc.). No Brasil, o mercado de câmbio está organizado em em dois seguimentos distintos, o mercado livre, também conhecido como comercial, e o mercado flutuante, denominado também de turismo. O parâmetro para a realização de negociações em dólar no mercado livre ou comercial é o dólar comercial, utilizado especialmente por empresas que desejam realizar operações de importação e exportação, ou então investimentos estrangeiros no país, empréstimos a residentes sujeitos a registro no Banco Central e pagamento e recebimento de serviços.

No Brasil, assim como na maioria dos países em geral, o comum é que a economia opere com uma taxa de câmbio flutuante, onde não há nenhuma regulamentação oficial que estabeleça a taxa, sendo que esta oscila de acordo com o comportamento do mercado. Em certas ocasiões porém, tal oscilação é forçada em uma dose excessiva por esse mesmo mercado, movimentando o câmbio excessivamente para cima ou para baixo, requerendo desse modo a intervenção das autoridades monetárias para que se restaure a normalidade no mercado. Uma taxa de câmbio muito acima das expectativas da política monetária e cambial indica uma oferta de moeda menor que a procura. Para uma taxa muito inferior ao esperado, surge a indicação de que há grande oferta de moeda na praça. Cabe nesses casos ao Banco Central intervir no mercado cambial, aumentando a oferta de dólares, em caso de escassez da moeda e taxa alta, ou então comprando dólares dos participantes do mercado de modo a forçar uma alta da taxa cambial.

Bibliografia:
Operando em câmbio. Disponível em http://www.fluxocc.com.br/cambio.asp . Acesso em 19/05/2011.

Taxa de câmbio. Disponível em http://www.bcb.gov.br/?TAXCAMFAQ . Acesso em 19/05/2011.