Educação nos Estados Unidos

Por Ana Lucia Santana
Nos Estados Unidos a legislação torna compulsória a educação pelo menos nos 13 primeiros anos de aprendizagem. Neste sentido o país é amplamente democrático, pois independentemente do gênero, da opção religiosa, da etnia, da raça, da existência de carências orgânicas, da capacidade de aprender ou do dom para o domínio de uma língua, o estudante conquista o direito de estudar.

Claro que isso é mais perfeito na teoria do que na prática, pois as dificuldades financeiras, os preconceitos, a violência racial e os constantes confrontos entre gangues de rua, representantes das inúmeras tribos que povoam os bairros das grandes cidades, são alguns dos principais fatores que afastam muitos alunos das salas de aulas.

Mesmo assim a estrutura educacional desta nação, que engloba os estágios primário e secundário, abriga hoje aproximadamente 50 milhões de estudantes; a maioria está matriculada em escolas públicas, de acordo com as estatísticas governamentais.

Neste país o sistema educacional é oferecido e dominado basicamente por três esferas governamentais distintas – federal, estadual e municipal. Assim, pode-se afirmar que ele é completamente descentralizado. As regiões estatais, os círculos comunitários e as escolas detêm liberdade total de ação e são responsáveis pelo financiamento das escolas públicas de Ensino Básico e Médio.

Geralmente as instituições educacionais públicas são geridas por distritos escolares, os quais são comandados por conselhos escolares que estendem sua área de competência, muitas vezes, a regiões que transcendem as fronteiras de um município ou de um condado.

O Ensino Médio não tem ligação alguma com as instâncias federais; ele é da alçada dos órgãos comunitários municipais, os quais têm poder para estabelecer: a grade curricular, a carga horária, a orientação vocacional, a execução de provas, os vencimentos dos professores, entre outros itens.

Só há uma semelhança entre as escolas norte-americanas; a extensão do estágio médio, de 4 anos, e o ano letivo, que dura 180 dias. As disciplinas também variam de uma instituição para a outra, embora a maioria conte com 5 a 7 matérias semestrais. A infância e a adolescência são compelidas a cursarem a escola até os 16 anos, ou até a conclusão do segundo grau; o início da aprendizagem muda conforme o Estado em questão.

Os alunos podem escolher se vão cursar instituições públicas, particulares ou domésticas. As duas primeiras modalidades apresentam três etapas: a elementar – ‘elementary school’; a média – ‘middle school’; e a secundária – ‘high school’. Após a conclusão deste percurso e a obtenção do diploma secundário, o aluno tem a opção de ingressar em um College, na Universidade ou em instituições profissionalizantes. As faculdades e escolas de nível superior são todas pagas, inclusive as públicas.

Fontes:
http://www.portaldointercambio.com.br/destinos/intercambio_estados_unidos/educacao_estados_unidos
http://pt.wikipedia.org/wiki/Educação_nos_Estados_Unidos