Eric Hobsbawm

Por Miriam Ilza Santana
Eric Hobsbawm nasceu no dia 09 de junho de 1917, na cidade de Alexandria, no Egito, quando este ainda era de domínio britânico. Ele era filho do comerciante e boxeador amador Leopold Percy Hobsbaum, de origem inglesa, e de Nelly Grün, austríaca, ambos de origem judaica. Compartilhava da companhia de sua única irmã, Nancy.

Um erro ortográfico na hora em que foi registrado fez com que Eric tivesse seu sobrenome alterado.

Viena e Berlim são os cenários de seus primeiros anos de vida, época em que a Áustria e a Alemanha, devido à Primeira Guerra Mundial, padeciam com a alarmante crise econômica que se instaurara e a conseqüente agitação social que esta provocou.

Em 1931, após a morte dos pais, Hobsbawm e sua irmã foram morar com seus tios em Berlim. Lá, uniu-se ao movimento socialista estudantil e iniciou seus estudos sobre as obras de Karl Marx.

Em 1933, quando Adolf Hitler ascendeu ao poder, Hobsbawm mudou-se para Londres, fugindo da perseguição nazista, mas principalmente por ter conseguido uma Bolsa de estudos na Universidade de Cambridge, onde forma-se em História.

Sua ideologia o leva a ser um militante político de esquerda, então ele se filia no Partido Comunista da Grã-Bretanha, que neste momento apoiava o regime Stalinista – o mesmo que alguns anos atrás expatriara a ala esquerda do PC soviético, que contava com a participação de Leon Trótski, o criador da Quarta Internacional.

Eric conhece então sua primeira esposa, Muriel Seaman, militante do partido, de quem veio a se separar oito anos mais tarde.

Quando ocorreu a Segunda Guerra Mundial – entre 1939 e 1945 –, ele ingressou no Exército Britânico para lutar contra os nazistas; por ter o domínio de quatro línguas colaborou também nos trabalhos de inteligência.

Com o término da guerra, Hobsbawm realiza seu curso de Doutorado na mesma Universidade em que se formou, período em que se une a alguns amigos e constitui o Grupo de Historiadores do Partido Comunista.

Fez parte também do grupo de historiadores marxistas britânicos, do qual participaram Christopher Hill, Rodney Hilton e E.P. Thompson, entre outros.

Em 1959, publica Rebeldes Primitivos, o qual trata dos movimentos camponeses de resistência e do protesto anticapitalista.

Em 1962 lançou A Era das Revoluções, o primeiro de uma quadrilogia, seguido por A Era do Capital (1884-1875), a Era dos Impérios (1875-1914) e A Era dos Extremos (1914-1991). Esta série de Eric ficou conhecida como “Era do Século XX”

A Era dos Extremos – publicado em 1994, na Inglaterra -, tornou-se uma das obras mais lidas e recomendadas para quem deseja estudar a recente história da humanidade. O livro faz um estudo dos principais acontecimentos que se desdobram de 1917 – período que engloba o fim da Primeira Guerra Mundial e a Revolução Russa – até 1991, quando chegaram ao fim os regimes socialistas da ex-União Soviética e dos países do leste europeu.

Em 1991 casou-se novamente, agora com uma professora de música, Marlene Schwarz, a qual o abençoou com dois filhos.

Em 1969, publicou sua famosa tese de nome “Bandidos” – obra recomendada para aqueles que estudam mais profundamente a história dos cangaceiros brasileiros.

Em 1995, convidado pela Folha de São Paulo, pela Companhia das Letras e pelo Diners Club, o célebre escritor Eric Hobsbawm visitou o Brasil, ficou alguns dias na cidade de Paraty (RJ) e ministrou uma palestra no Masp, em São Paulo.

No dia 09 de dezembro de 1997 foi medianeiro no debate a respeito da questão social do Brasil, no encerramento da Conferência “Brasil Rumo ao Século 21”, que ocorreu no Centro de Estudos Brasileiros, sediado em Oxford, na Inglaterra.

Eric Hobsbawm é tido como um dos mais célebres historiadores atuais, faz parte da Academia Americana de Artes e Ciências, foi professor de história no Birkbeck College (Universidade de Londres) e atualmente é professor da New School for Social Research, de Nova Iorque.

Livros publicados:

A Era das Revoluções
Era do Capital
A Era dos Impérios
Era dos Extremos
Sobre História
História Social do Jazz
Pessoas Extraordinárias: Resistência, Rebelião e Jazz
Nações e Nacionalismo desde 1780
Tempos Interessantes (autobiografia)
Os Trabalhadores: Estudos Sobre a História do Operariado
Mundos do Trabalho: Novos Estudos Sobre a História Operária
Revolucionários: Ensaios Contemporâneos
Estratégias para uma Esquerda Racional
Ecos da Marselhesa : dois séculos revêem a Revolução Francesa

Co-edição ou organização

A Invenção das Tradições
História do Marxismo (12 volumes)