Eritrograma

Por Fabiana Santos Gonçalves
O eritrograma é a contagem da série vermelha do sangue (glóbulos vermelhos). São realizadas as seguintes contagens e dosagens:

Contagem de eritrócitos (CE): é realizada por contadores automáticos. Feitas com um microscópio, são bastante cansativas de realizar. Esse valor varia com a idade e com o sexo do paciente.

Dosagem de hemoglobina (Hb): a hemoglobina é responsável pelo transporte de oxigênio dos pulmões até os tecidos. Quantidades baixas de hemoglobina indicam anemia. É feita em espectrofotômetro e contadores.

Hematócrito (Ht): è o volume pelos eritrócitos em uma coluna de sangue centrifugado.

Volume corpuscular médio (VCM): mede o tamanho das hemácias e ajuda no diagnóstico da anemia. Se o paciente está com as hemácias pequenas, elas são chamadas de microcíticas. Se estão maiores do que o normal, são chamadas de macrocíticas. Em um adulto, o tamanho normal varia de 80 a 96 fl. Quando há variação, ou seja, são observadas hemácias macrocíticas e microcíticas, o quadro é chamado de anisocitose. A unidade utilizada é femtolitro (fl).

Hemoglobina corpuscular média (HCM): é o peso da hemoglobina na hemácia. O valor normal é de 26-34 picogramas.

Concentração da hemoglobina corpuscular média (CHCM): é a concentração de hemoglobina contida na hemácia. Esse valor confere com a coloração das hemácias, pois a coloração depende da concentração de hemoglobina na hemácia, logo, com pouca hemoglobina a célula se colore pouco, ficando com o centro esbranquiçado. Quando há muita hemoglobina a célula se cora mais do que o normal. No caso de esferocitose, onde não há concavidade no centro da hemácia, há aumento do CHCM. Hemácias que se coram normalmente são chamadas de normocrômicas, que se coram pouco são chamadas de hipocrômicas e as que se coram além do normal são hipercrômicas.

RDW: Indica a variação de tamanho das hemácias. Quando elevada, indica anisocitose. Seu valor normal é de 11 a 14%.

Reticulócitos: São células precursoras de hemácias, recém saídas da medula óssea, que ainda contêm RNA ribossômico. O número normal não varia com a idade e é de 0,5 a 2%. O aumento de reticulócitos no sangue circulante indica eritropoiese aumentada, o que indica anemia. Pode ser uma anemia ou o tratamento de uma. Baixa quantidade indica anemia hipoproliferativa como a anemia ferropriva. Quando o paciente já está com anemia ou em processo terapêutico, deve ser feito a correção da contagem de reticulócitos e avaliar o índice de produção de reticulócitos, cada um com sua fórmula específica.

Análise ao microscópio: é importante confirmar os dados das contagens eletrônicas e verificar a presença de hemácias anormais como esferócitos, ovalócitos, estomatócitos, drepanócitos, células falsiformes, equinócitos, acantócitos, leptócitos, dacriócitos, eritrócitos mordidos ou fragmentados, esquisócitos e queratócitos.

As inclusões nas células são importantes para o diagnóstico de uma doença. Devem ser observados: Corpos de Heinz, Corpos de Howell-Jolly, pontilhados basófilos, siderossomas e anéis de Cabot.

Tudo que a pessoa que estiver fazendo o hemograma for observando deve ser anotado para auxiliar o diagnóstico do médico. Caso algum exame complementar seja necessário também deve estar escrito no exame. Muitas anemias devem ser confirmadas por exames complementares, como eletroforese de hemoglobina, por exemplo.

Fontes
Naoum, Paulo César. Hematologia Laboratorial. AC & T.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.