Pensamento Crítico

Por Ana Lucia Santana
O pensamento crítico envolve um juízo intencional, no sentido de refletir sobre em que se deve crer ou de como reagir a um exame minucioso, a uma vivência, a uma manifestação oral ou textual, e até mesmo a proposições alheias. Ele também está ligado à definição do conteúdo e do valor do objeto da observação.

Relativamente a certa conclusão ou raciocínio, este pensamente avalia se há uma razão apropriada para acatar a tese como algo autêntico. Os estudiosos Fisher e Scriven defendem que o pensamento crítico é uma compreensão competente e ágil das observações, exposições, conhecimentos e discussões.

Hoje o termo ‘crítico’ normalmente tem um sentido negativo, de reprovação, o que nem sempre corresponde à realidade quando se trata de pensamento crítico. Um bom exemplo é que uma verificação de raciocínios com viés crítico pode ser interpretada como algo positivo.

Esta forma de pensar não é construída sobre métodos intransigentes e velozes, e sim em concepções e preceitos. Ela não se vale tão somente da lógica, seja ela formal ou informal, mas também de noções mentais mais vastas, tais como nitidez, confiabilidade, precisão, importância, valor expressivo.

O pensamento crítico baseia-se no estudo pormenorizado e na estimativa substanciosa dos argumentos, particularmente aqueles que o grupo social acredita serem autênticos no cenário do dia-a-dia. Este parecer é concretizado especialmente por meio da reflexão, da vivência, da argumentação ou da metodologia adotada pela Ciência.

Este pensamente demanda nitidez, exatidão, igualdade e indícios, uma vez que tem como meta impedir que se recorra às visões pessoais. Assim considerado, ele está ligado à dúvida permanente e à percepção das simulações. Por meio desta prática o sujeito invoca os elementos cognitivos e o intelecto para atingir uma postura aceitável e compreensível acerca de uma dada proposição.

Os pesquisadores afirmam que é preciso assumir a posição de um pensador crítico, ou seja, identificar e não utilizar as discriminações que nascem do conhecimento; reconhecer e evidenciar as particularidades dos argumentos; estimar o valor das origens dos dados; e enfim examinar as argumentações.

É bom frisar que o pensamento crítico não tem a intenção de transmitir uma visão pessimista do contexto nem apresentar uma tendência a achar imperfeições e erros. Também não pretende modificar a mentalidade dos indivíduos ou ocupar o lugar reservado à afetividade e aos sentimentos.

Seu propósito é impedir que as tensões da sociedade provoquem a padronização e a passividade. Os que adotam essa forma de pensar buscam identificar e amenizar ou até mesmo impedir que se manifestem as ilusões e os equívocos a que estão sujeitos no cotidiano.

Por isso duvida das origens das notícias, procedentes muitas vezes da mídia, por elas quase sempre desvirtuarem o real. O princípio máximo deste pensamento é questionar o que lê ou escuta e tentar chegar o mais próximo possível das informações objetivas, e com o mais alto grau de exatidão.

Fontes:
http://conceito.de/pensamento-critico
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pensamento_cr%C3%ADtico