Boitatá

Por Marina Martinez
O boitatá é uma entidade do folclore brasileiro que aparece sob a forma de uma gigantesca serpente. Seus enormes olhos que emanam uma intensa luz de fogo são capazes de cegar a quem ousar a encará-los. De acordo com a lenda, o boitatá foi o único sobrevivente de um grande dilúvio que exterminou todo o planeta Terra. Na tentativa de sobreviver, o boitatá entrou em um buraco, do qual permaneceu no escuro. Por causa disso, seus olhos cresceram e a entidade desde então só podia aparecer durante o período da noite, pois de dia não conseguia enxergar.

Outras pessoas acreditam que os olhos grandes da cobra monstruosa são porque ela alimentava-se dos olhos dos animais mortos pela catástrofe. Cada olho que a cobra devorava este irradiava uma luz. Por tantos olhos que a serpente devorou seus olhos se tornaram verdadeiras bolas de fogo e seu corpo todo irradiava luz. No entanto, a criatura ficava cada vez mais fraca, pois os olhos não a sustentavam e nem lhe davam a energia, embora lhe satisfizessem o apetite. Muito fraco e sem capacidade de se locomover o boitatá morreu.

Acredita-se que o boitatá é um protetor dos campos. Pessoas que incendeiam matas e florestas poderão ser atormentadas pela criatura que poderá ainda queimá-las pela habilidade que tem em se transformar numa tora em brasa. Há também uma versão oposta, de que o boitatá é na verdade várias almas penadas que fizeram muitas coisas ruins na Terra e por onde passa, queima tudo. Por isso no Nordeste o boitatá é conhecido como "Alma dos Compadres e das Comadres".

Muitas pessoas já dizem ter avistado um facho cintilante de fogo correndo nas matas e acreditam ser o boitatá, especialmente os indígenas. Inclusive a palavra boitatá é a junção de duas palavras indígenas (bóia = cobra, atatá = fogo).

O boitatá é tão conhecido que existem registros do Padre Anchieta (padre jesuíta que contribuiu muita na educação e catequização dos indígenas), de que os indígenas relatavam ser a mais temível assombração. Se por acaso algum indígena se deparasse com a criatura terrível, imediatamente fecharia os olhos, pois caso contrário poderia ficar cego e louco pelo resto da visa.

A lenda do boitatá sofreu várias modificações ao longo dos anos e cada região brasileira descreve uma versão curiosa. Há quem acredite que na verdade o boitatá não é uma serpente, mas sim um enorme e monstruoso touro, que solta fogo pelas narinas e boca.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Boitatá
http://sitededicas.uol.com.br/folk05.htm
http://www.vivabrazil.com/boitata.htm