Energia Nuclear no Brasil

Por Emerson Santiago
Este artigo irá abordar a política brasileira em relação à energia nuclear, e a forma como esta é utilizada atualmente dentro do complexo sistema energético brasileiro.

É uma das principais fontes produtoras de energia (sendo as outras duas a hidrelétrica, que utiliza a energia dos rios e a termoelétrica, que utiliza combustíveis fósseis, como o carvão, petróleo e gás natural). Empregada dentro e fora do Brasil, seu uso é sempre envolto em controvérsias e o risco tanto à população quanto ao ambiente é o principal temor da opinião pública.

O programa nuclear brasileiro abrange um amplo uso da energia nuclear, sempre voltado para fins pacíficos. Há cerca de 3 mil instalações em funcionamento em todo país (não são usinas, são instalações que exploram de alguma maneira a energia nuclear) que utilizam material ou fontes radioativas como combustível para setores da produção industrial, ou no campo da saúde ou ainda pesquisa, principalmente na área química. Ainda assim, a energia produzida por meio de combustível nuclear é ainda ínfima, muito pequena em relação por exemplo à energia hidrelétrica, e em menor proporção, à termoelétrica.

Ao mesmo tempo é importante considerar que o Brasil é um grande consumidor de energia elétrica, ficando atrás de Alemanha, Suíça, Estados Unidos e outros países, o que equivale dizer que boa parte da sua população tem acesso a esta de maneira precária ou não tem qualquer acesso à mesma. Desse modo, a questão da utilização da energia nuclear como opção para aumentar a disponibilidade da energia elétrica à população se impõe, mesmo ante considerações de que apenas cerca de 25% do potencial hidrelétrico do território nacional é aproveitado. Por outro lado especialistas lembram que o Brasil possui a sexta maior reserva mundial de urânio, o elemento indispensável à produção de energia nuclear, além de dois terços do território nacional permanecerem inexplorados em relação ao mesmo. É ainda lembrado que a exploração de energia hidrelétrica cobra um alto preço no aspecto ambiental, devido à implantação de suas fundações, alteração de curso de rios e o desmatamento do entorno da área.

Mas a energia nuclear também guarda um problema sério, o incômodo problema dos resíduos radioativos, ou seja, os restos da fissão nuclear que é a fonte para produzir energia. O armazenamento desse lixo não é questão das mais simples, e qualquer que seja o seu destino final corre sérios riscos de degradação, sem mencionar o risco à população que tenha contato com aquele perímetro.

O Brasil possui duas usinas em operação atualmente: Angra 1 e Angra 2, instaladas no município de Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro, com potencial de geração de 2 mil megawatts. A inauguração da usina de Angra 3 está prevista para 2015, adicionando mais 1080 megawatts de energia elétrica à disposição.

Bibliografia:
http://www.biodieselbr.com/energia/nuclear/brasil-energia-nuclear.htm - Página BiodieselBR.com - Energia Nuclear no Brasil

http://www.comciencia.br/reportagens/nuclear/nuclear01.htm - Página ComCiência - Energia Nuclear: Custos de uma Alternativa

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-importancia-da-energia-nuclear-no-brasil - Blog Luís Nassif Online - A importância da energia nuclear no Brasil