Bacia do Araguaia

Por Emerson Santiago
A Bacia do rio Araguaia consiste no conjunto de todos os recursos hídricos convergindo para a área banhada pelo rio Araguaia e seus afluentes. Esta é uma das doze regiões hidrográficas do território brasileiro. É muito frequente a classificação deste rio e do Tocantins como uma unidade denominada bacia Tocantins/Araguaia.

Mapa da Bacia do Araguaia/Tocantins

O conjunto localiza-se a nordeste do estado de Goiás e conecta-se a 49 municípios. A nascente do principal rio da bacia localiza-se na Serra do Caiapó, próximo ao Parque Nacional das Emas, na divisa entre os estados de Mato Grosso e Goiás, desaguando no rio Tocantins.

A origem do nome "Araguaia" vem da língua tupi, e sgnifica "rio das araras vermelhas". O rio é ainda responsável por delimitar a divisa entre vários dos estados pelo qual, juntamente com sua bacia, percorre: Mato Grosso, Goiás, Maranhão, Tocantins e Pará. É além disso considerado um dos rios mais piscosos do mundo, sofrendo porém com a crescente pesca predatória, que por consequência diminui o volume de peixes de toda a bacia, isso sem mencionar a recente construção da hidrelétrica de Tucuruí, dificultando a subida dos peixes pelo rio, para a sua desova e consequente reprodução.

Recentemente, em 2007 verifica-se o aumento gradual da quantidade de assoreamentos, diminuindo a água do leito dos rios, e dificultando a navegação pela bacia, em especial na área do município de Aragarças.

O rio Araguaia apresenta uma peculiaridade, que é a de, entre os meses de julho e agosto o clima seco propicia o retrocesso do rio em vários pontos, formando assim ilhas de areia, muito utilizada por turistas, que são abordados pelos órgãos de meio ambiente locais e instruídos pelos mesmos  acerca de normas de conviência básica e harmoniosa naquele bioma. Entre as recomendações estão a de não utilizar a madeira nativa da região, evitar a caça e a pesca sem licença dos respectivos órgãos ambientais, evitar o uso de fogos de artifício, dispor o banheiro bem como outras instalações sanitárias a uma distância mínima de 30 metros, além de evitar o uso de latas e remover todo o lixo produzido para fora da área no momento da partida.

Assim como o rio Paraguai e sua bacia, o Araguaia vem ano a ano padecendo pela exploração econômica de sua área, com destaque para a agricultura, que causa tanto problemas advindos da erosão do solo, pela "limpeza" necessária para se fazer a plantação, bem como, por outro aspecto maléfico, a contaminação pelo agrotóxico utilizado nas lavouras, que é transportado pela chuva até os rios componentes da bacia.

Porém nem tudo está perdido. Com a gradual e crescente conscientização da população, a área do Araguaia, que chegou a receber o nome de "lixão" na década de 1970, atinge hoje índices animadores de recuperação.

Bibliografia:
http://www.transportes.gov.br/modal/hidroviario/ESTATISTICA/BaciaTocantinsAraguaia.htm - página do Ministério dos Transportes - Bacia Tocantins/Araguaia

http://www.portalbrasil.net/brasil_hidrografia.htm - portal Brasil - breve descrição das maiores bacias brasileiras, incluindo a Tocantins/Araguaia

http://www.internationalrivers.org/chi/am%C3%A9rica-latina/os-rios-da-amaz%C3%B4nia/bacia-do-araguaia-%E2%80%93-tocantins - página International Rivers - Bacia Tocantins/Araguaia

http://www.brasildasaguas.com.br/sete_rios/expedicao_rio_araguaia.html - página Brasil das Águas - Rio Araguaia

http://www.transportes.gov.br/bit/mapas/mapclick/hidro/bctoca.htm