Estreito de Ormuz

O Estreito de Ormuz está situado na entrada do Golfo Pérsico, entre Omã, localizado na Península Arábica e o Irã. Trata-se de uma via marítima estratégica por onde transita mais de 40% do petróleo mundial e 20% de transporte marítimo mundial. De pequena extensão, tem 54 km de largura mínima e seu trecho mais largo não passa de 100 km.

Estreito de Ormuz, em detalhe. Mapa: CIA.

Estreito de Ormuz, em detalhe. Mapa: CIA.

Mesmo pelo pequeno tamanho, é uma importante rota marítima por ser a única passagem de grandes áreas de exportação de petróleo para o mar aberto. Passam diariamente de 16 a 17 milhões de barris de óleo pelo Estreito de Ormuz, tornando-o um dos mais estratégicos “choke points” do mundo. Localizadas estrategicamente, próximo da costa norte, situam-se as ilhas de Kish, Qeshm, Abu Musa e Tunbs Maior e Menor, as quais funcionam como plataformas de controle do tráfego marítimo.

Segundo um guia histórico, o estreito de Ormuz está situado a esquerda de grandes montanhas, chamadas Asabon, e a direita de outras arredondadas e altas, chamadas Semíramis. Na parte superior e final deste golfo há uma cidade, perto de Charax Spasini e do Rio Eufrates.

Para alguns, Estreito de Ormuz é assim chamado pois, deriva do nome do Deus Persa Ormoz e para outros historiadores e linguistas o nome é oriundo de uma palavra persa local chamada Hur-mogh, que significa Tamareira.

Desde 1997 o ministro do Irã apoiou o livre transporte de petróleo através do estreito, porém se reservou no direito de fechar a rota se o Irã fosse ameaçado. Há alguns anos atrás, rumores afirmavam que o governo do Irã estaria disposto a travar uma nova guerra no Oriente Médio, com a ameaça de bloqueio do Estreito de Ormuz. A questão é a proximidade a que os navios navegam, explicam a facilidade com que podem entrar em confronto, podendo gerar guerras.

Em março de 2007, um incidente envolvendo o Irã acabou afetando também a marinha britânica, quando quinze marinheiros ingleses foram capturados por lanchas iranianas na região, sendo libertados apenas 2 semanas depois. Já em 2008 um incidente internacional envolveu o Irã e os Estados Unidos: um navio da Guarda Revolucionária Iraniana e três embarcações americanas, pioraram ainda mais a imagem que o governo americano divulga sobre o Irã pelo mundo e a relação entre esses dois países.

Fatos recentes mostram que o general Jaafari (Irã) anunciou que a República Islâmica poderia fechar o estreito de Ormuz em represália a um ataque contra suas instalações nucleares. Em resposta aos Iranianos, os Estados Unidos e Israel não descartaram a possibilidade de um choque armado para conter as pesquisas.

Referências Bibliogrpaficas:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Estreito_de_Ormuz
http://www.publico.clix.pt/Mundo/submarino-nuclear-e-navio-americano-colidem-no-estreito-de-ormuz_1370116
http://www.naval.com.br/blog/2009/03/22/mais-informacoes-sobre-o-estreito-de-ormuz/

Arquivado em: Hidrografia