Satrapias

Por Emerson Santiago
Recebia o nome de satrapia a unidade administrativa do Império Aquemênida (primeiro Império Persa, e mais tarde também dos Impérios Selêucida, Parta e Sassânida), ente antecessor do moderno estado iraniano. O termo tem origem na antiga língua persa, e significa "província", e passou para a língua grega e mais tarde para o latim. A autoridade máxima das satrapias era o sátrapa, ou "protetor da província", administradores locais nomeados pelo rei, que deviam arrecadar tributo e realizar o recrutamento em seu nome. Eles também lidavam com crises e revoltas, assim como asseguravam a defesa contra ameaças externas.

O sistema de satrapias tornava viável o controle do extenso território do Império Aquemênida, permitindo a coleta de impostos, recrutamento de contingente militar, além de um controle prático e racional da burocracia local. Entre 550 e 522 a.C. o império se expandiu rapidamente, e para garantir o controle do império, Ciro II, o Grande (r. 559-530 a.C.) e seu filho Cambises (r. 530-522 a.C.) adaptaram para uma maior escala as estruturas existentes dos impérios antecessores. Tais estruturas por sua vez determinaram a consolidação do sistema hierárquico das satrapias que se manteve essencialmente inalterado, provando ser um instrumento eficaz de administração ao longo de todo o período Aquemênida.

O historiador grego Heródoto é uma importante fonte de informação sobre as divisões administrativas do Império Aquemênida, pois ele escreveu uma lista dos tributos pagos pelas satrapias ao rei.

Há ainda uma interessante inscrição feita em rocha que dá ideia da grandeza e diversidade do Império Aquemênida à época. Ela é conhecida pelo nome de “Inscrição de Behistun”, e está localizada no monte de mesmo nome, próxima à moderna cidade iraniana de Kermanshah, e foi feita por volta de 520 a.C.:

"O rei Dario diz: Estes são os países que estão sujeitos a mim, e pela graça de Ahura Mazda eu me tornei rei deles: Pérsia, Elam, Babilônia, Assíria, Arábia, Egito, os países do mar, Lídia, os gregos, Média, Armênia, Capadócia, Pártia, Drangiana, Aria, Khorasmia, Báctria, Sogdia, Gandara, Cítia, Satagídia, Aracósia e Maka; são 23 territórios no total ".

O Império Aquemênida era sem dúvida a potência mundial de sua época. Surpreendentemente, cerca duzentos anos após a confecção das inscrições em Behistun, Alexandre o Grande partiu da Macedônia (norte da Grécia) e conquistou o império. Sua política de helenização (assimilação de valores, costume, filosofia e estética gregos aos padrões culturais dos povos conquistados) levou a manter o sistema administrativo dos aquemênidas, que seria preservado pelos estados que vieram posteriormente, até que o domínio árabe sobre o Irã estabeleceu novos métodos administrativos.

Bibliografia:
GILL, N.S. A List of the Satrapies of the Achaemenid Persians (em inglês). Disponível em: < http://ancienthistory.about.com/od/persianempirearticles/a/120112-Persian-Achaemenid-Satrapies.htm >. Acesso: 09/02/13.

JACOBS, Bruno. Achaemenid Satrapies (em inglês). Disponível em: < http://www.iranicaonline.org/articles/achaemenid-satrapies >. Acesso: 09/02/13.