Clássicos da Literatura Espiritualista

Nosso LarFrancisco Cândido Xavier

Depois do encontro com o espírito conhecido como Emmanuel, considerado seu mentor, o médium mais famoso do Brasil, Francisco Cândido Xavier, popularmente denominado Chico Xavier, recebeu a visita de outra entidade espiritual que se tornaria significativa na divulgação da Doutrina Espírita em nosso país, hoje intitulada André Luiz. O primeiro volume da série de obras deste espírito é justamente Nosso Lar, campeão de vendas no filão da literatura espírita no Brasil – aproximadamente 2 milhões de livros comercializados. Nosso Lar é uma autobiografia do espírito que se autodenomina André Luiz. Ele narra sua vida no Plano Espiritual após seu desencarne. Os primeiros momentos desta existência o autor passa no Umbral, uma região sombria de dor e sofrimento, onde ele permanece por oito anos, mergulhado no desespero.

O Colecionador de Lágrimas – Augusto Cury

Cury publica desta vez uma ficção histórica e por meio da trama eletrizante protagonizada por um professor de história expõe na prática ideias essenciais da Psicologia Multifocal, linha terapêutica que exerce. O autor narra a experiência surpreendente vivida por um expert nos eventos que marcaram a Segunda Guerra Mundial. Subitamente o personagem passa a ser perseguido por sonhos terríveis e noites insones, durante as quais revê os atos atrozes cometidos pelos alemães na época do embate global. Se tudo, porém, se resumisse a uma série de pesadelos, mas infelizmente eles se revelam reais e consistentes. Ao testemunhar os fatos até então presentes apenas nas páginas dos livros, o mestre, de procedência hebraica, fica paralisado, sem ação diante do terror promovido pelo Führer Adolph Hitler. Estressado com esses eventos inusitados, ele estende a questão ao próprio ambiente profissional, promovendo controvérsias inflamadas que envolvem também os estudantes. Neste momento recebe uma proposta inusitada de uma comunidade científica e de integrantes da alta hierarquia dos oficiais alemães. O grupo lhe pede que viaje no tempo em uma máquina construída para este fim e aí desembarcando seja o assassino de Hitler; desta forma os rumos da História serão radicalmente modificados.

É Sagrado Viver – Padre Fábio de Melo

Aqui Padre Fábio, em mais um de seus livros poéticos, tenta traduzir a existência e seu desenrolar nos aspectos mais importantes. Em 43 narrativas particulares, concisas e repletas de sentimentos íntimos e profundos, o autor medita sobre os eventos mais diversos e cotidianos em sua aparência. Desta forma o sacerdote reproduz momentos de expectativa à espera de um ônibus, memórias da meninice e o ato de ler uma carta, entre outros instantes minimalistas. Fica claro, neste livro, que o Divino está presente no imprevisto e no espanto. De repente suas manifestações desabrocham nos espaços banais mais inesperados. Com seu olhar transparente e singelo, sua maneira natural de perceber a existência, o autor nos propõe uma visão distinta e sublime de cada elemento que compõe nossa paisagem diária. O dia-a-dia se torna um espaço de descobertas, imagens e declarações íntimas de uma alma que se esforça o tempo todo para romper a carência de profundidade dos dias.

Cure Suas Mágoas e Seja Feliz! – Fernando Vieira Filho

Esta obra com certeza deveria figurar na cabeceira de todos os leitores que desejam mudar os rumos de suas vidas. Não é uma história criada para degustar em um único gole, e sim uma leitura destinada a uma lenta avaliação do paladar, a uma profunda meditação. Fernando se inspira em seu sogro, Dr. Elias Barbosa, um ilustre e renomado psiquiatra, já morto, com quem conviveu por mais de 30 anos, para compor um personagem apaixonante e inesquecível. Dr. Eck Barth é um ícone da psiquiatria germânica e nos anos 70 vive na Montanha Azul, uma bela região austríaca. Prêmio Nobel da Paz por sua militância humanitária junto aos tibetanos, subjugado pelos governantes comunistas da China, é famoso também por seu clássico Os Anjos do Himalaia. A história tem início quando outro psicoterapeuta, Kai Schoppen, mergulhado em um grave conflito com a própria mãe, recebe uma revelação surpreendente: seu ídolo dos tempos de Universidade está vivo e foi encontrado nas redondezas da cidade de Bergkarmel, ao sul da Áustria.

A Arte da Felicidade – Dalai Lama

O objetivo maior da nossa vida é encontrar a felicidade. Parece uma frase clichê, mas filósofos como Aristóteles e William James já afirmavam o mesmo. Contudo, o ponto de vista do autor sobre ser feliz, aqui, é mais amplo. Ele nos estimula a transformar a busca da felicidade em um propósito autêntico, e para isso devemos empreender passos concretos. Nesta obra o tema é tratado através de vários diálogos com o Dalai-Lama, seguindo a ideia de contribuir com seus pensamentos sobre como agir para construir no dia-a-dia uma existência mais venturosa. E tudo isso segundo a visão de um psiquiatra ocidental, Howard C. Cutler.

Arquivado em: Literatura