A história dos algarismos e números

Por Gláucio da Silva Freitas
Vindo junto com o processo evolutivo que se tornou a história da matemática, passando gradativamente do processo do estudo da matemática concreta para a abstrata conseguimos diferenciar aspectos cardinais e ordinais através de desenvolvimentos de artifícios até então limitados que seriam os instrumentos fora da abstração que representavam os números. No início das civilizações, a matemática concreta era sem dúvida a principal ferramenta de contagem até ser atingida a evolução de uma linguagem para se expressar de forma oral números que seriam abstratos.

Inicialmente para se adotar um  nome ao um certo número eram feitas comparações do tipo: o valor "um" era representado por algo que representasse unicidade como sol, lua ; o valor dois representava-se por olhos, narinas, mãos, o valor quatro por patas de animais, etc. E com o passar dos séculos os números foram incorporando linguagens específicas através de técnicas e alguns processos acelerados vindos da constante ideia que se tinha de “sucessão “ que o ser humano já era capas de transferir em forma de linguagem abstrata, formando assim um verdadeiro sistema unificado, dessa forma poderíamos dar nomes aos números estimulando também a capacidade, e técnicas de memorização.

A partir daí os números não ganharam apenas nomes mas também  representações na escrita, sempre associadas a formas de linguagens, como os sinais  figurativos, letras do alfabeto e tantas outras . Essas transformações possibilitaram e serviram para grandes inventores, cientistas e matemáticas posteriormente como instrumentos, para que  as suas grandes demonstrações mostrassem  estudos que permitiram uma grande evolução em todo campo da Ciência como é visto em nosso presente.

A criação de símbolos também foi gradativamente aparecendo de forma bem intuitiva, como vimos possa ter sido estimulada pelo processo e técnicas de memorização quanto a necessidade que se tinha.

O processo de criação e separação das chamadas antigas bases ou que recebem o nome de classes numéricas foi logo dando maior consistência na forma da escrita e representatividade de um número, e com o passar do tempo podíamos notar com isso que o sistema numérico decimal já era predominante. Foi a partir de conceitos como esses que nasceu a necessidade de se diferenciar o nosso sistema de algarismos de números. Assim seria mais claro a evolução da linguagem e representação numérica por meios de comunicação, podendo ser usado por exemplo dois algarismos juntos representando apenas um número como por exemplo:

22  que é 20 + 2 , ou ainda podemos dizer 2 dezenas mais 2 unidades.

Bibliografia:
História universal dos algarismos – Georges Ifrah- vol 1