Nutrição Intracelular

A nutrição intracelular ou funcional prescreve um regime alimentar apropriado para cada pessoa, conforme as suas carências pessoais. O especialista neste campo avalia o paciente através de sua história orgânico-emocional e de exames específicos. Desta forma ele detecta as disfunções presentes na alimentação, o quadro sentimental, os desequilíbrios do sistema imunológico e das esferas endócrinas e gastrintestinais.

Tomadas as medidas iniciais, o nutricionista funcional determinará que alimentos serão benéficos ou maléficos para o fisiologismo humano. Como cada indivíduo se distingue do outro e suas necessidades são diferentes, um determinado elemento será salutar para uns e nocivo para outros. Esta área da nutrição não só trata as enfermidades já instaladas no organismo, mas também atua como instrumento de profilaxia.

O nutricionista deve estar atento não tanto à doença em si, mas ao paciente em sua integralidade, ou seja, é recomendado que se cuide das causas, daquilo que no íntimo do enfermo encontra-se em desarmonia, não apenas dos sinais que se manifestam no corpo e indicam a presença de uma enfermidade. É preciso compreender que o organismo é um ser dinâmico, está em constante transformação, pois a disposição harmônica entre os elementos interiores e exteriores está sempre oscilando.

Este profissional procura compor uma visão holística do paciente, uma vez que os distintos fatores corporais que podem desencadear o desequilíbrio orgânico nunca se expressam isoladamente, mas sim como uma rede que tem seus fios interconectados entre si, e na tessitura do todo provocam o aparecimento da doença.

O processo de cura não prescinde jamais de uma digestão bem elaborada, uma forma mais saudável de sorver o alimento; de uma alimentação mais apropriada das células, através do consumo de substâncias plenas de antioxidantes; de uma ampliação da camada protetora do organismo contra a disseminação dos radicais livres, através da deglutição de alimentos integrais. Esta forma de combater os adversários do organismo humano, propiciada pela nutrição funcional, é acessível a qualquer um que esteja disposto a percorrer este caminho.

Cada pessoa que procura o auxílio do nutricionista funcional deve responder a um questionário bem detalhado, dividido em 7 folhas, o qual tem como meta realizar uma anamnese do indivíduo, a partir da qual será construído o diagnóstico. Alguns exames característicos desta esfera serão prescritos, para que se verifique qual substância está a mais no organismo e de que outros elementos ele carece.

O nutricionista submete também o paciente a um exame de pelo menos 300 alimentos, tentando assim estabelecer a que nutrientes ele é intolerante, e quais os aceitáveis por seu organismo. Desta forma é possível elaborar um rol do que se deve comer com prudência, das substâncias que se pretende evitar e daquilo que não se pode abusar. A partir daí o especialista prescreve o regime mais apropriado e, se for preciso, recomenda o uso de suplementos nutricionais.

Este método nasceu nos Estados Unidos, no seio do Instituto de Medicina Funcional norte-americano, mas se encontra hoje bem difundido no Brasil, embora haja ainda um número restrito de profissionais especializados neste campo e os brasileiros não se aflijam ainda o quanto deveriam com as questões alimentares. Segundo os nutricionistas funcionais, prover o corpo humano das substâncias de que ele realmente carece permite ao Homem que ele tenha uma existência mais longa, saúde, bem-estar e qualidade de vida.

Fontes
• Cool Magazine – Ano 12 - Nº 75.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Nutrição, Saúde