Mandacaru

Por Felipe Araújo
De acordo com a definição do Dicionário Caldas Aulete, mandacaru significa “cacto (Cereus jamacaru) nativo do Brasil, de porte arbóreo, ramificado, com flores grandes que se abrem à noite, típico da caatinga, onde serve de alimento ao gado, e também cultivado como ornamental e por propriedades terapêuticas”.

Compondo a família das cactáceas, o mandacaru também é conhecido pelo nome de cardeiro. Sua maior ocorrência se dá na região nordeste do país, onde seu nascimento de suas flores simboliza o “fim da seca” em áreas muito áridas. A planta chega a atingir cinco metros de altura e o tipo de mandacaru que não apresenta espinhos é utilizado para alimentar animais. Porém, a variedade mais comum é conhecida pela sua enorme quantidade de espinhos. Para utilizá-la na alimentação do gado é necessário cortar ou queimar a parte espinhosa. Outra característica marcante do cacto é sua alta resistência durante o longo período de seca que atinge a região.

Da espécie de mandacaru que apresenta mais espinhos nascem flores brancas, de grande  beleza e que chegam a atingir cerca de trinta centímetros de comprimento. Na maioria das vezes, os botões destas flores surgem no período da primavera e cada uma delas costuma durar por apenas uma noite, desabrochando no período noturno e murchando no começo da manhã.

A polpa do mandacaru é branca e apresenta pequenas sementes pretas. É bastante utilizada na alimentação por seu sabor, sendo útil para pessoas e aves da caatinga (periquito-da-caatinga, gralha-cancã). Seus frutos são de uma coloração violeta forte.

A identificação do mandacaru com o povo nordestino e sua cultura não está somente relacionada aos períodos de estiagem. Por apresentar características como durabilidade, adaptabilidade e beleza, é comumente identificado com o povo nordestino no folclore popular por sua resistência em áreas de difícil sobrevivência. Uma das canções brasileiras que popularizou o mandacaru por todo o país é “Xote das Meninas” composta por Luiz Gonzaga e Zé Dantas:

“Mandacaru, quando flora lá na seca
É o sinal que a chuva chega no sertão
Toda menina que enjoa da boneca
É sinal que o amor já chegou no coração
Meia comprida, não quer mais sapato baixo
Vestido bem cintado não quer mais vestir jibão”.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mandacaru
http://aulete.uol.com.br/mandacaru
http://www.vagalume.com.br/dominguinhos/xote-das-meninas.html
http://webexposicao.blogspot.com.br/2012/12/mandacaru.html