Abreviaturas

Por Ana Paula de Araújo
Atualmente, com a globalização, o avanço nas comunicações e o uso da internet, tudo se tornou muito rápido. As pessoas sentem mais do que nunca a necessidade de acompanharem o ritmo dos acontecimentos e de realizarem o maior número de tarefas possível no intervalo de tempo de que dispõem. A língua não poderia ficar de fora desta dinâmica, já que é por meio dela que nos comunicamos, e é aí que entra uma “saída”  ainda não completamente aceita como norma, mas totalmente aderida: as ABREVIATURAS.

Quem já entrou em algum chat ou mandou um e-mail apressado para um colega, enviou um torpedo do celular ou deixou um bilhetinho pra alguém na porta da geladeira com certeza já fez uso delas, vejamos algumas das mais utilizadas na atualidade, especialmente pelos mais jovens:

Bjs (beijos)

c/ (com)

msg (mensagem)

msm (mesmo)

ñ (não)

obg (obrigado)

p/ (para)

pq (porque)

tb (também)

A maioria das pessoas, quando vão abreviar as palavras o fazem de qualquer maneira, mas os mais cuidadosos devem se perguntar: como eu faço para abreviar esta palavra? Existe regra pra isso?

A resposta é simples. Existem algumas regras para abreviar as palavras, porém a maioria das abreviaturas que ganham o gosto do público são aquelas que, mesmo sem seguir as regras preditas pela gramática, são usuais, práticas. É o caso, por exemplo, do famoso “VC”, criado nos sites de bate-papo. Esta abreviatura não é reconhecida pela gramática como norma, porém é reconhecida por todos nós, usuários da língua.

Vejamos, pois, algumas regras para se fazer uma abreviatura da maneira correta (prevista na gramática).

REGRA GERAL: primeira sílaba da palavra + a primeira letra da sílaba seguinte + ponto abreviativo.

Exemplos: adj. (adjetivo), num. (numeral).

Outras regras:

a) Nunca se deve cortar a palavra numa vogal, sempre na consoante. Caso a primeira letra da segunda sílaba seja vogal, escreve-se até a consoante.

b) Se a palavra tiver acento na primeira sílaba, ele é conservado.

núm. (número)

lóg. (lógica)

c) Caso a segunda sílaba se inicie por duas consoantes, utiliza-se as duas na abreviatura.

Constr. (construção)

Secr. (secretário)

d) O ponto abreviativo também serve como ponto final, sendo assim, se a abreviatura estiver no final da frase, não há necessidade de se utilizar outro ponto.

Ex: Comprei frutas, verduras, legumes, etc.

e) Alguns gramáticos não admitem que as flexões sejam marcadas na abreviatura.

Profª (professora)

Págs. (páginas)

Algumas palavras, mesmo não seguindo as regras descritas acima, são aceitas pela gramática normativa, é  o caso de:

a.C. ou A.C. (antes de Cristo)

ap. ou apto. (apartamento)

bel. (bacharel)

cel. (coronel)

Cia. (Companhia)

cx. (caixa)

D. (Dom, Dona)

Ilmo. (Ilustríssimo)

Ltda. (Limitada)

p. ou pág. (página) e pp. Págs. (páginas)

pg. (pago)

vv. (versos, versículos)

Mesmo sabendo que estas siglas são permitidas e reconhecidas pela gramática, ao escrevermos textos oficiais, artigos, trabalhos, redações, não devemos utilizá-las abusivamente, pois acabará atrapalhando a clareza da comunicação. Em textos informais, no entanto, não há nenhuma restrição, a abreviatura pode ser utilizada quando quisermos.

SIGLA

Existe uma outra maneira de abreviarmos, a sigla. Esta é também reconhecida por muitos gramáticos como um processo de formação de palavras, pois a sigla acaba tomando um significado próprio. As siglas são a junção das letras iniciais de um termo composto por mais de uma palavra:

EUA (Estados Unidos da América)

USA (United States of America)

P.S. (pós escrito = escrito depois)

S.A. (Sociedade Anônima)

S.O.S. (Save Our Souls = salvai nossas almas)

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)

Convencionou-se dizer que se a sigla tiver até três letras, ou se todas as letras forem pronunciadas individualmente, todas ficam MAIÚSCULAS.

ONU, MEC, USP, PM, PMDB, INSS, CNBB.

Se, porém, a sigla tiver a partir de quatro letras, e nem todas forem pronunciadas separadamente, apenas a primeira letra será maiúsculas, e as seguintes minúsculas:

Aids, Embrapa, Detran, Unesco.

FONTES:
http://www.folhanet.com.br/portrasdasletras/
Gramática Normativa da Língua Portuguesa (Rocha Lima)