Analepse e Prolepse

Quando surge o termo analepse nos mais variados contextos, este pode parecer estranho, mas sua função é conhecida por muitas pessoas, porém, com outra nomenclatura, flashback, que nada mais é que uma recordação, uma lembrança. Apesar de o uso flashback ser mais corrente na linguagem do cinema, sua utilização também está na literatura, como em tantos outros meios, sendo seu sinônimo o vocábulo analepse.

No decorrer de uma trama, seja ela em filmes, obras literárias ou em outros meios, quando ocorre uma pausa para entrar em cena o fato já ocorrido, esta é chamada de interrupção cronológica. Um exemplo de analepse em livros é o caso de “As Irmãs Harker”, de Mina Ford, no qual, no transcorrer do texto, existem longas pausas para relembrar o passado das gêmas.

Já em filmes, pode-se citar “O Curioso Caso de Benjamin Button”, onde toda a história é contada de trás para frente, num prolongado flashback, no qual o personagem principal, interpretado por Brad Pitt, nasce velho, porém com atitudes de um bebê, e morre neném, como se fosse o fim de sua vida.

Outro exemplo do cinema no qual encontra-se flashback, ou analepse, é “The Spirit”, que conta a história de um policial que morre durante seu trabalho e recebe uma injeção que o torna “quase” imortal. Todavia, a explicação para ele levar tantos tiros e golpes e não morrer, pelo efeito da injeção, só consta do meio pro final do filme, onde quem lhe aplicou o líquido, conta como foi. A partir disso, as cenas que aparecem o ex-policial levando a agulhada do vilão (ocorridas no passado) aparecem no decorrer da trama. No seriado LOST, os flashbacks foram muito utilizados no início da série, para contar a história dos passageiros do avião que caiu em uma ilha misteriosa.

Em contrapartida à analepse, está a figura de linguagem prolepse, que significa o contrário, até como seus próprios prefixos deixam claro. Da mesma forma que a analepse, prolepse também é uma figura de sintaxe. A diferença é que este último termo em questão vai remeter ao futuro no decorrer do texto e até mesmo prever o futuro.

Essa previsão, citada anteriormente, aparece, muitas vezes, num adiantamento dos termos de uma oração, como é o caso de “As pessoas parece que gostam de dramas do cotidiano”. No exemplo em questão, “as pessoas”, que, na ordem direta, apareceria entre “que” e “gostam”, tornando a frase em: “Parece que as pessoas gostam de dramas do cotidiano. Apesar da antecipação dos termos, não há erros, gramaticalmente falando, no perído citado.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Prolepse
http://pt.wikipedia.org/wiki/Analepse
http://gabrielapimenta.blogspot.com/2009/05/prolepse.html

Arquivado em: Português