Modo Subjuntivo

Por Ana Paula de Araújo
O Modo Subjuntivo costuma causar muitas dúvidas nos estudantes e usuários da língua portuguesa, por muitas vezes se confundir em algumas conjugações com o modo indicativo. O Modo Subjuntivo, assim como o indicativo, se caracteriza por um conceito semântico, é considerado o modo verbal que ao invés de expressar uma certeza expressará uma ideia de dúvida, exprime uma ação irreal, hipotética.

Exemplos:

  • Se tudo der certo, terminarei o trabalho esta semana.
  • Talvez eu volte atrás na minha decisão.

Os tempos existentes no modo subjuntivo são: presente, pretérito perfeito, pretérito imperfeito, pretérito mais que perfeito e futuro. Dentre estes, destacam-se o presente, o pretérito imperfeito e o futuro, pois apresentam algumas formas fixas de construção. Apresentamos a seguir estas formas, baseando-nos na conjugação do verbo falar.

Presente - indica uma possibilidade, um fato incerto no presente.

  • Que eu - fale
  • Que tu - fales
  • Que ele - fale
  • Que nós - falemos
  • Que vós - faleis
  • Que eles - falem

Pretérito imperfeito - indica a possibilidade de um fato ter acontecido ou não.

  • Se eu - falasse
  • Se tu - falasses
  • Se ele - falasse
  • Se nós - falássemos
  • Se vós - falásseis
  • Se eles - falássem

Futuro - indica a possibilidade de um fato vir a acontecer.

  • Quando eu - falar
  • Quando tu - falares
  • Quando ele - falar
  • Quando nós - falarmos
  • Quando vós - faláreis
  • Quando eles - falarem

Outra característica desse modo verbal é a sua extrema dependência com outro verbo. O modo subjuntivo geralmente se apresenta nas orações subordinadas, onde sua utilização está ligada ao sentido que se pretende dar à ação verbal.

Exemplos:

  • Talvez ele possa me apresentar seus pais. (sentido de dúvida)
  • Se todos chegassem mais cedo, a reunião terminaria antes do almoço. (sentido de hipótese)
  • Pediria a todos que se dirigissem à recepção.(sentido de ordem, pedido)
  • Quero que fiquem à vontade. (sentido de desejo)