Ortoépia e Prosódia

A ortoépia e a prosódia são duas áreas na gramática responsáveis pela correta pronúncia das palavras, e por isso se relacionam bastante com a fonética e a fonologia.

Prosódia é uma palavra de origem grega, e significa o estudo do ritmo, da entonação e das demais propriedades acústicas relacionadas à fala, ou seja, aquelas que não podem ser identificadas na transcrição ortográfica.

Para simplificar, é a prosódia que cuida da acentuação tônica das palavras. Dizemos que ocorre transposição quando o acento tônico de uma palavra é transportado de uma sílaba para outra (na fala), transformando, assim, uma paroxítona em oxítona, ou uma proparoxítona em paroxítona.

Vejamos algumas palavras que causam dúvidas quanto à pronúncia, ou seja, ocasionam erros de prosódia:

  • OXÍTONAS: mister, nobel, ruim, cateter, hangar
  • PAROXÍTONAS: avaro, caracteres, ibero, gratuito, fortuito, pudico, rubrica
  • PROPAROXÍTONAS: elétrodo, protótipo, arquétipo, etíope, ínterim, idólatra

Há ainda as palavras que admitem dupla pronúncia como acrobata/acróbata, crisântemo/crisantemo, Oceânia/oceania, réptil/reptil, estas facilitam a vida de quem escreve, pois das duas formas estão corretas. Já existem outras palavras que apesar de admitirem dupla pronúncia, mudam o significado de acordo com a acentuação tônica, como são os casos de valido (verbo) e válido (adjetivo), ou vivido (aquele que viveu muito) e vívido (que tem vivacidade).

Ortoépia, por sua vez, é o estudo que determina as normas que regem a pronúncia das palavras em uma determinada língua. É a ortoepia que trata das divergências entre a pronúncia de uma palavra no dia a dia, pelos falantes, abrangendo contextos formais e informais. Contudo, vale lembrar que os desvios na pronúncia, em contextos informais, na linguagem popular, são facilmente admitidos, porém em contextos formais são altamente reprovados.

Enquanto a prosódia trata dos casos de mudança na sílaba tônica, a ortoépia trata dos casos de emissão incorreta de vogais, articulação imprópria de consoantes e timbre incorreto. Estes desvios geralmente interferem na escrita, pois as pessoas têm tendência de escrever da mesma forma que falam. Por exemplo, se uma pessoa pronuncia “cabelereiro”, quando for escrever esta palavra terá uma grande inclinação para grafá-la desta maneira, e não da forma correta que é “cabeleireira”.

Vejamos outros desvios (erros de ortoépia):

CORRETO ERRADO
Bandeja Bandeija
Caranguejo Carangueijo
Empecilho Impecilho
Reivindicar Reinvindicar
Beneficência Beneficiência
Meteorologia Metereologia
Pneu Peneu
Freada Freiada
Cabeçalho Cabeçário
Advogado Adevogado
Estupro Estrupo

Estes desvios, relacionados à ortoépia, são chamados de cacoepia.

Outro conceito interessante de se saber é o de Plurais Metafônicos. É simples: quando uma palavra muda o timbre de alguma vogal ao se flexionar para o plural, este plural é chamado de metafônico. Este fenômeno acontece com várias palavras na nossa língua.

Exemplos:

morto/mortos, olho/olhos, caroço/caroços, corvo/corvos, forno/fornos, grosso/grossos, destroço/destroços

Fontes:
http://www.mundovestibular.com.br/articles/537/1/ORTOEPIA-E-PROSODIA/Paacutegina1.htm
http://helenaconectada.blogspot.com.br/2013/02/ortoepia-e-prosodia.html
http://www.colegioweb.com.br/trabalhos-escolares/portugues/dificuldades-da-lingua/ortoepia-e-prosodia.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pros%C3%B3dia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Orto%C3%A9pia

Arquivado em: Linguística, Português