Dublador

O dublador é hoje um profissional essencial no campo cinematográfico, na esfera das animações, dos seriados, da publicidade, dos videogames, entre outros. Sem eles, os que não dominam um determinado idioma não poderiam usufruir da obra de arte produzida em outro idioma sem recorrer às legendas, o que excluiria da fruição deste setor cultural todos os não alfabetizados.

Este profissional cede a voz, a entonação correta, a habilidade interpretativa, a própria respiração disposta na hora mais apropriada, aos personagens de determinadas obras. Geralmente o texto nativo a partir do qual o dublador exerce seu ofício foi preparado por um tradutor, que o converteu da obra original para a linguagem local. Algumas vezes o recurso da dublagem é empreendido na mesma língua da criação primitiva, como no caso da publicidade, com o objetivo de aperfeiçoar a modulação da voz registrada nas primeiras gravações.

O candidato deve apresentar uma voz adaptável, vocação artística inata, facilidade para empreender a leitura dinâmica, discurso informal, ótima memória para decorar textos, aptidão para a performance dos mais variados papéis, gosto pela leitura, o hábito de estar presente em teatros e cinemas, ouvir constantemente programas de rádio, ter o dom de transmitir com maestria as emoções dos personagens, de forma sincrônica, permitindo que as falas em português se amoldem aos lábios, como se fossem ditas em qualquer outra língua.

O bom profissional deve também moldar sua voz à representação das emoções que transparecem no rosto e nos lábios dos personagens, e também às suas atitudes na obra em questão. Alguns dubladores se tornam célebres, sendo reconhecido por sua voz, pela atuação nos mais diversos suportes artísticos. Normalmente, porém, sua fama está restrita ao âmbito dos profissionais deste campo ou aos fãs de obras dubladas.

O dublador deve ter em mãos, para trabalhar, o DRT, certificado de conclusão da Faculdade de Artes Cênicas ou Artes Dramáticas, o qual é expedido pelo Ministério do Trabalho. Sem ele o profissional não pode atuar, a menos que ele tenha menos de catorze anos, porque nesta faixa etária este pré-requisito perde a validade, já que a pessoa nesta idade não é propriamente caracterizada como um dublador. Mas, neste caso, a criança ou adolescente necessita de uma autorização emitida pela Vara da Infância e Juventude.

Após a graduação, o profissional pode realizar várias especializações na área da dublagem, as quais são muito comuns nas grandes metrópoles. Estes cursos são geralmente ministrados por dubladores conhecidos. Depois de percorrer este caminho, o especialista pode atuar em filmes do gênero documentário, nas animações, em filmes, seriados, trilhas sonoras, publicidades, jingles, telenovelas, entre outros veículos artísticos.

Os dubladores são submetidos a testes artísticos ao iniciarem seu processo de inserção no mercado de trabalho, nos quais devem exteriorizar todo talento inato que detêm. Eles são remunerados pelo que nesta área se conhece como ‘anel’, ou seja, vinte minutos de gravação da voz. Diariamente os profissionais assinam um registro, inserindo o número de ‘anéis’ que eles produziram em sua jornada de trabalho. Normalmente o dublador atua em empreitadas temporárias, definidas por meio de um contrato com as empresas. Algumas delas, porém, garantem ao funcionário um registro funcional e a chance de trabalhar como um profissional fixo.

Fontes
http://www.brasilprofissoes.com.br/verprof.php?codigo=161
http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikipedia:Crit%C3%A9rios_de_notoriedade/Dubladores

Arquivado em: Cinema, Profissões