Jornalista

Por Marlene Amariz
São profissionais responsáveis por buscar informações e notícias em diversas áreas, divulgando-as ao público em geral, de acordo com os fatos e ocorrências do momento, transmitindo-as através de todos os meios de comunicação disponíveis, assim como: Internet, rádio, televisão, jornais, etc. Sua principal função é a de manter o público informado sobre eventos que possam afetar de alguma forma o seu cotidiano ou mesmo notícias curiosas, divertidas, ou notas de falecimentos ou nascimentos de celebridades, etc. Os jornalistas podem ainda exercer outras funções, tais como: repórter, redator, editor, produtor, apresentador, entre outros.

jornalistaAtualmente vários recursos tecnológicos são utilizados com o intuito de agilizar as informações, porém a presença do jornalista sempre se faz necessária para apurar melhor o que houve, entender, registrar e posteriormente transmitir tais fatos, nunca esquecendo-se da responsabilidade de tal transmissão, pois notícias ou informações confusas ou equivocadas poderão trazer intranquilidade e prejuízos aos indivíduos e à outros segmentos em geral.

Quais as características necessárias para ser um bom jornalista?

Considera-se um bom profissional em jornalismo aquele que possui desenvoltura em narrar os fatos, perspicácia e bom-senso ao transmiti-los, visando sempre uma forma clara, interessante e concisa, que possa prender a atenção da pessoa que os recebe independentemente do veículo de comunicação utilizado. É desejável também que este profissional tenha uma boa redação inclusive em sua língua natal e conhecimentos de outros idiomas, capacidade de improviso, concentração, comunicação, simplificação, e ainda criatividade, objetividade, facilidade em expressar-se, etc.

Formação

Havendo interesse na profissão de jornalista deve-se saber que a sua formação profissional se iniciará através de um curso superior em Comunicação Social com habilitação em jornalismo, com duração prevista de quatro anos. É necessário também interesse por temas da atualidade, busca incessante de cultura e de novos conhecimentos, inclusive em todas as áreas como: turismo, esportes, geografia, meio ambiente, fauna, flora, economia, etc. Assim como em todas as outras áreas as pós-graduações e cursos de especialização ( consultoria, reportagem, assessoria de imprensa, etc.) também são bem-vindos, aumentando as oportunidades no mercado de trabalho.

Cabe aqui lembrar que através de uma liminar da Justiça Federal de 2001, “estaria” extinguida a obrigatoriedade de diploma para obter-se o registro profissional, porém em 2005 esta liminar foi revogada e o processo aguarda julgamento no Supremo, sendo assim, pessoas que escrevem para jornais e revistas muitas vezes não tem registro profissional e conseqüentemente não são considerados jornalistas.

Onde atuar?

Os jornalistas tem um grande e diversificado mercado de trabalho, no entanto, muito competitivo, e nem sempre tão glamuroso quanto possa parecer, em muitas situações são horas e horas de trabalho árduo para produzir os resultados exigidos. Mas o jornalista poderá atuar também, em empresas públicas ou privadas, as quais, em geral, atualmente, já requerem em seu quadro de funcionários os assessores de imprensa, gerenciadores e executivos da comunicação, aumentando as expectativas de mercado. Sua carga horária é em média de 40 horas semanais, podendo aumentar em determinados cargos. Os salários variam entre R$1500 à R$2000, mas em cargos de direção, ou executivos, esses valores poderão subir até em média R$20000. De acordo com as regiões do país também observam-se diferenças nos ganhos para mais ou menos. Os jornalistas podem exercer ainda as funções de:

1) editor: verifica a qualidade dos textos, avalia reportagens e veracidade da informações, entre outras.

2) redator e revisor: dá títulos às notícias, verifica ortografia, erros de concordância, etc.

3) pauteiro: preocupa-se com o movimento ou “pauta” do dia.

4) repórter: sai em busca de informações e notícias seguindo as suas “fontes”, escreve ou grava, investiga, etc.

5) chefe de reportagem: como o próprio nome já diz, ele chefia os repórteres es suas equipes, organizando acerca de cada fato.

6) divulgador: é o profissional que “funciona” como agente de outras pessoas, como: celebridades, artistas, etc, processando textos com informação junto aos jornalistas.

7) assessor de imprensa: geralmente representa ou orienta a pessoa que se apresentará nos meios de comunicação.

Situação do mercado de trabalho

Atualmente as vagas apresentam-se em maior número em São Paulo e Brasília. No Rio de janeiro o mercado encontra-se altamente concorrido. Há também a oportunidade através da informática para iniciantes que possam trabalhar como “websurfers”( informações de sites para os clientes ou criação e edição de textos para os chamados “websites”).

De uma forma geral o mercado de trabalho encontra-se estável, mas, verificando-se que o mesmo não cresce na mesma proporção em que se formam profissionais para o mercado a cada dia.

Assista ao vídeo abaixo, produzido pela TV Unesp, sobre a profissão de jornalista:

Fontes
Artigo: “ O objetivo do jornalista é divulgar o que é de interesse publico”, Folha de São Paulo, 15/09/2003
Artigo: “Mercado Profissional”. Martins, C.
Ilustração: http://pixabay.com/pt/%C3%ADcone-papel-jornal-pap%C3%A9is-not%C3%ADcias-34126/