Psicologia da Personalidade

Por Suyane Elias Comar
A Psicologia da Personalidade é a área que estuda e procura explicar as particularidades humanas que influenciam o comportamento. A personalidade pode ser definida como o conjunto de características que determinam os padrões pessoais e sociais de uma pessoa, sua formação é um processo gradual, complexo e único a cada indivíduo. No senso comum o termo personalidade é usado para descrever características marcantes de uma pessoa, como “essa pessoa é extrovertida ou aquela menina é tímida” e etc, porém o conceito de personalidade está relacionado as mudanças de habilidades, atitudes, crenças, emoções, desejos, e ao modo constante e particular do indivíduo perceber, pensar, sentir e agir, além da interferência de fatores culturais e sociais nessas características.

Existem muitas teorias que estudam a personalidade, porém uma das mais importantes na história do estudo de personalidade está a de Freud. Para Freud, o comportamento é resultado de três sistemas que são o Id, o Ego e o Superego.  O Id é inato (que nasce com o individuo, congênito) e regido pelo princípio do prazer, exige satisfação imediata dos impulsos, sem levar em conta as conseqüências indesejáveis. O Ego é uma evolução do Id, pois apesar de conter elementos inconscientes como o Id funciona muito mais a nível consciente e pré-consciente, dessa forma, comandado pelo princípio da realidade, o Ego cuida dos impulsos do Id e muitos dos desejos acabam sendo não satisfeitos, mas sim reprimidos. O Superego contém idéias derivadas dos valores familiares e sociais, por isso é um sistema parcialmente consciente que serve como censor das funções do ego, de onde derivam sentimentos de punição, medo e culpa. Desse modo, podemos considerar o Id como sendo o componente biológico, o Ego como o psicológico e o Superego como o social da personalidade, trabalhando juntos sob a liderança do Ego.

Portanto na Teoria da Sexualidade, Freud explica que a sexualidade é reconhecida como um instinto com o qual as pessoas nascem e que se expressa de diferentes formas de acordo com as fases do desenvolvimento que seriam a Fase Oral (0 a 2 anos), Fase Anal (2 a 4 anos), Fase Fálica (4 a 7 anos), Período de Latência (7 a 12 anos) e Adolescência (a partir dos 12 anos). Essas fases deixarão traços que definirão a estrutura da personalidade do indivíduo.

É interessante também citar a teoria da personalidade estabelecida por Erich From. Ele vê a personalidade como um produto das condições culturais, ou seja, a personalidade se desenvolve a partir daquilo que a sociedade oferece.

Acredita que a sociedade está doente e não satisfaz as necessidades do homem, porém o homem deve se ajustar a essa sociedade para escapar da solidão de outros homens e da natureza tentando se adaptar também a suas exigências interiores.

Ou seja, a Psicologia científica busca formar um embasamento teórico da personalidade. Popularmente a personalidade é atribuída sendo boa ou ruim, porém na psicologia ela deve estar alheia a esse juízo de valor, sendo então o estudo das características que diferenciam os indivíduos. Na tentativa de agrupar e diferenciar as características da personalidade pode-se dizer que os determinantes inconscientes do comportamento e os determinantes conscientes são fatores centrais entre algumas teorias da personalidade, porém considera-se também, a hereditariedade, a base biológica e os aspectos sociais do individuo aspectos relevantes na determinação da personalidade do indivíduo.

Fontes:
http://www.webartigos.com/artigos/psicologia-da-personalidade-aspectos-conteudo-estrutura-e-desenvolvimento-psicossexual-0-a-12-anos-controversias-e-correlacoes/60160/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Psicologia_da_personalidade
http://pt.wikipedia.org/wiki/Personalidade