Psicologia Metafísica

A Psicologia Metafísica ou Metapsicologia é uma especialidade psicológica que pesquisa os eventos que transcendem a psicologia empírica, a qual se limita ao estudo dos fatos que podem ser explicados pelo método teórico-experimental, ou seja, ser provados pela Ciência.

O termo ‘metafísica’ se refere à visão geral, própria do senso popular, que vê este campo como o estudo dos acontecimentos que transpassam a ‘física’, compreendidos como milagres ou fatos sobrenaturais. Assim, neste sentido, a Psicologia Metafísica é muitas vezes confundida com a Parapsicologia, que pesquisa fenômenos não alcançados pela Ciência, tais como a telepatia, a clarividência, entre outros.

Mas, em sentido mais restrito, a Metafísica se dedica ao conhecimento da essência do Homem e do Universo. Ao contrário da esfera empírica, que só considera conhecimento o saber adquirido por meio da experiência, a Psicologia Metafísica lida diretamente com fatos considerados paranormais, procurando compreendê-los, criando teorias que abarquem estes eventos.

Assim, um evento é enquadrado como metafísico quando, a princípio, nenhuma teoria do círculo físico a tenha definido ou conceituado. Portanto, qualquer comportamento que não pode ser cientificamente classificado, é imediatamente transferido para o campo da Psicologia Metafísica.

Esta especialidade da Psicologia deve ajudar o Homem a resgatar sua unidade, a transcender a dualidade, procurando libertar o indivíduo das tensões em que ele vive mergulhado. Para tanto, ela busca conscientizá-lo da existência desta unificação, permitindo que ele aflore em si próprio a consciência de seu Ser.

Ela ajuda o ser humano a vencer as ilusões, a despir suas máscaras, a distinguir as aparências que em nada enriquecem o Homem, do que realmente importa, a sua essência. Isto é realizado através do Conhecimento, esta chama que desperta no indivíduo o senso da verdadeira liberdade. Assim, os medos, as atitudes egoístas, a rigidez emocional e as ansiedades serão eliminados. Isto porque conhecer equivale a atingir o âmago do Ser, e aos poucos erradicar a fragmentação do eu, tão comum em nossos dias.

Arquivado em: Psicologia