Complexometria

Por André Luis Silva da Silva
Uma complexação, titulação complexométrica ou complexometria, representa uma técnica de análise volumétrica que visa a formação de um complexo de coloração, na reação entre o analito e o titulante, sendo usado para indicar o ponto final da titulação um indicador. Titulações complexométricas são extrememente úteis para a determinação de diversos íons metálicos em solução. Um indicador capaz de produzir uma pronunciada mudança de coloração é usualmente usado para detectar o ponto final da titulação complexiométrica.

A análise complexométrica ou complexometria compreende a titulação de íons metálicos com agentes complexantes ou quelantes, sendo um agente quelante qualquer estrutura, da qual façam parte dois ou mais átomos possuidores de pares de elétrons não utilizados em ligações químicas primárias, mas sim, usados como "imãs" eletrostáticos para se prenderem a íons metálicos. Dentre os complexantes mais comuns podemos citar a água, responsável (ligada ao íons cobre) pela cor azul das soluções de sais de cobre, a amônia (quando substitui a água ao redor do cobre, produz cor azul mais intensa) e o EDTA (ácido etilenodiaminotetracético (que com o cobre, rivaliza a amônia)”1.

O agente complexante de maior importância é o EDTA (ácido etilenodiaminotetracético), que forma complexos muito estáveis com vários íons metálicos. Ainda nestas titulações é muito importante o ajuste do pH do meio em análise, uma vez que em meio ácido, os íons H+ competirá com os íons metálicos na quelação e em meio alcalino os íons metálicos tendem à formação de hidróxidos alcalinos pouco solúveis. Como a ação máxima complexante do EDTA é em meio fortemente alcalino, muitas vezes há necessidade de adição de um agente complexante auxiliar nas titulações.

Este texto traz um procedimento laboratorial que visa a determinação de íon cálcio por complexometria, a partir de uma amostra aquosa, relacionando-se a concentração deste íon em referência à potabilidade da água. Neste experimento será então determinada a concentração de um importante mineral presente na água potável, o íon cálcio, cujo limite brasileiro de potabilidade é de até 100 ppm, tanto para o íon Ca2+ como para o íon Mg2+. A equação de complexação envolvida é:

Ca2+  +  EDTANa2  →  [Ca-EDTA]  +  2Na+

PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL:

  1. Separar uma alíquota de 10 mL da amostra a ser analisada (água potável) e transferi-la a um erlenmeyer.
  2. Adicionar 80 mL de água destilada.
  3. Adicionar 10 mL de solução NaOH 4%.
  4. Adicionar 50 mg de murexina.
  5. Titular com solução padrão EDTANa2 0,01M.
  6. Encerrar o processo na mudança de coloração do vermelho para o violeta.
  7. Lavar a bureta com bastante água.

Referências:

1. http://www.ufpa.br/quimicanalitica/triticomplexacao.htm
RUSSELL, John B.; Química Geral vol.1, São Paulo: Pearson Education do Brasil, Makron Books, 1994.