O Engordar Metabólico

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

O incômodo excesso de peso geralmente é fruto de alguns problemáticos hábitos de comportamento. Os exemplos são muitos: lanches fora de hora, ricos em calorias, guloseimas aqui e ali, sedentarismo, etc. E o que no princípio é motivo de desconforto pode posteriormente trazer sérios problemas à saúde, assim, sempre é bom ficar de olho.

Um dos aspectos envolvidos na absorção calórica dos alimentos é saber o quanto eles liberam em calorias quando metabolizados pelo organismo. Essa medida vai indicar a quantidade de energia de um determinado alimento quando totalmente aproveitado pelo nosso corpo, medida geralmente em quilocalorias (kcal) ou quilojoules (KJ). Sabe-se que “a caloria é a quantidade de calor necessária para a temperatura de 1 grama de água, sob pressão normal, se elevar de 14,5°C para 15,5°C.
1 cal  =  4,158 joules.”1

A diferença entre a taxa de calorias “queimadas” e a absorvida vai indicar se o organismo está ou não acumulando energia (teoricamente, engordando, pois esta é armazenada sob a forma de gordura no organismo). Entretanto, não é possível, indicar o número, nem mesmo preciso, referente a real necessidade calórica diária do indivíduo, pois, além das diferenças metabólicas de um indivíduo para outro, as necessidades diárias de calorias dependem de muitas coisas. Por exemplo, uma criança precisa de mais calorias do que uma pessoa idosa, porque ainda está em fase de crescimento. O corpo do homem tem uma porcentagem maior de tecido muscular do que o da mulher, o que faz com que este necessite de um número maior de calorias do que ela para manter saudáveis seus tecidos e suas funções.

Na química, o estudo da energia envolvida nos processos, tanto metabólicos como laboratoriais, é feito na termoquímica. Conforme a natureza do processo, este poderá ser classificado como endotérmico (aquele que absorve calor do meio ambiente para se processar) ou exotérmico (aquele que libera calor para o meio). No organismo humano, na metabolização dos alimentos, ocorre uma liberação gradual de energia, a qual é utilizada nas funções estruturais e intelectuais humanas, na taxa específica do indivíduo, influenciada por suas atividades diárias.

Apenas por indicação profissional pode-se chegar a um valor referente à real necessidade de calorias diária, a qual muitas vezes está em torno de 2500Kcal (2.500.000 calorias), valor este referido a um adulto de porte médio e pouco sedentário. Entretanto, ao invés de preocupar-se em levar ao extremo uma dieta regida pela diferença entre o número de calorias absorvido e o seu gasto, recomenda-se sempre uma dieta diversificada e saudável, com os nutrientes necessários ao bom funcionamento de nossas funções.

Referências:
1. http://www.efeitojoule.com/2009/01/calorias-quantidade-calor-calorias.html
RUSSELL, John B.; Química Geral vol.1, São Paulo: Pearson Education do Brasil, Makron Books, 1994.

Arquivado em: Metabolismo, Química