Proteobactéria

Trata-se de um filo pertencente ao domínio bacteria, é muito vasto (possui cerca de 1534 espécies de bactérias) e é composto por organismos de coloração Gram-negativa. Sendo a maioria desses representantes patogênicos, muitos são relevantes e alguns são livre-natantes. E ainda fazem parte deste grande grupo as bactérias responsáveis pela fixação de nitrogênio.

Considerando a etimologia da palavra PROTEOBACTERIA, este filo tem esse nome justamente pela variedade de formas estruturais que assume de acordo com a espécie. E considerando o sequenciamento do RNA ribossômico, as proteobacterias são classificadas em 5 grupos distintos:

Proteobacterias alfa

Neste grupo está inserida a maioria dos gêneros fototróficos. Alguns pesquisadores e cientistas acreditam que os antecessores precursores das mitocôndrias derivaram dessas proteobacterias.

Proteobacterias beta

Neisseria Gonorrhoeae

Aqui neste grupo encontramos as bactérias que se desenvolvem bem em ambientes oxigenados e também as que são facultativas. Este grupo também contém gêneros quimiolitotróficos (oxidam o amoníaco) e fototróficos. A classe Neisseriaceae, que faz parte deste grupo, detém os organismos patogênicos e por isso captam a atenção de profissionais da saúde, bem como de cientistas.

Proteobacterias gama

Já essas proteobacterias trazem muitas espécies igualmente importantes quando comparadas as da classe Neisseriaceae. Como exemplo podemos citar os representantes das classes Enterobacteriaceae, Vibrionaceae e Pseudomonadaceae. As doenças mais comumente conhecidas que são causadas por bacterias pertencentes à estes grupos são: enterite, peste, fibrose cística, cólera e febre tifóide.

Proteobacterias delta

Neste grupo os organismos normalmente se desenvolvem potencialmente bem em ambientes que apresentam oxigenação. Mas também encontram-se aqui aqueles organismos que são exclusivamente anaeróbios. Neste caso, temos exemplos bem clássicos: as bactérias que fazem reação reducional de sulfato, as que fazem esta mesma reação só que com enxofre e as que reduzem ácido férrico.

Proteobacterias ípsilon

Este grupo é mais discreto quanto à quantidade de representantes, poucos gêneros somam-se aqui. Mas não menos importantes, principalmente do ponto de vista da medicina: Wolinella, Helicobacter e Campylobacter. São habitantes comuns do aparelho digestório, tanto em seres humanos como nos animais irracionais. Podem ser classificados como simbiontes ou patogênicos. Simbiontes no gado, por exemplo, e patogênicos nos humanos.

Bibliografia:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Proteobacteria
http://de.academic.ru/dic.nsf/dewiki/1008052
http://www.earthlife.net/prokaryotes/proteo.html
http://www.websters-online-dictionary.org/Pr/Proteobacteria.html

Arquivado em: Reino Monera